Comunidade Portuguesa de Ambientalistas
Ring Owner: Poli Etileno Site: Os Ambientalistas
Anterior Lista Aleatório Junte-se a nós! Próximo

2009-03-20

Alegoria do Universo

Acordei com o hálito fresco da noite
De cheiro adocicado de estrelas.
Senti-me prisioneiro do Cosmos,
Atirado para uma minúscula cela
De um imperceptível asteróide,
Numa qualquer galáxia espiralada.
Por mais que me recusasse,
Encenava a alegoria da caverna
E interpretava um personagem
Desconcertado com a finitude do seu corpo,
Num palco de imortalidade do tempo e do espaço.

Senti um medo que contrastava
Com a sensação de liberdade,
De ter, perante mim, um infindo universo,
Que nunca povoarei.


É um tormento sentir
Que não lhe podemos tocar, ver ou possuir.
É um suplício não ser
Eterno para o conhecer,
Pelo menos no éter que exala.
É uma tortura pensar que se morrerá,
Sem matar a sede do conhecimento.

Durmo, mas não descanso,
Enquanto não descobrir
Se a minha cela é capaz de resistir,
Ao aroma branco e negro do firmamento.

Félix Rodrigues

Angra do Heroísmo, 14 de Março de 2009.

14 Comments:

At 13:09, Blogger Su said...

amei este post, não sei pq diferente dos outros

jocas maradas de sentires..é isso....sentires

 
At 18:32, Blogger Mariz said...

Salvé Felix!

Mas é muito belo...mesmo!
Conquanto discorde de algumas coisas.
Todo o universo está em nós...e é claro que nesta densidade de corpo físico nada tocaremos, a não ser que com a prática - atitude que nunca tomei - se façam viagensastrais e então aí,penso que se voa livremente e se vai onde se queira.
Eu faço-as, inconscientemente, claro, nalguns sonhos.
tanto assim, que já me vi fundida numa bebulosa em vários tons de azul e laivos lilases. Não tinha corpo, mas via e sentia tudo. Estranhíssimo, mas duma beleza inigualável. portanto...e porque não nos recordamos - mal tomamos este corpo, como resultado da vontade expressa de ascender - mas sempre vivemos LÀ!

Abraço meu de sempre...
MAriz

(espero que já esteja totalmente recuperado; estas novas energias que pairam pela terra, é no que dão...também por aqui se passa o mesmo...não ligue, pois!)

 
At 23:03, Blogger susana said...

obrigada pelo teu comentário...gosto de vir aqui... é um espaço diferente... e tb ajuda a aliviar o stress... nem sabes cm acertaste na pólvora...
su

 
At 23:17, Blogger Berro d'Água said...

Metáforas querido amigo... E das boas!!! Adorei o texto e o contexto!!!

O belo e perfumado fruto, chama-se CAJÚ. Vem de uma árvore singela, de folhas grandes e largas e galhos retorcidos, pouco ou nada frondosa, pois seus frutos carecem de muito sol. Não se trata de uma dessas árvores belas, se olharmos com olhos de quem não se detém a observar... Mas a beleza lá está... Aí, um belo dia ela floresce em buquês com micro flores do branco ao rosado e de cada flor, brota uma castanha e atrás da castanha, vem o cajú. A castanha de cajú é umas das melhores que existe. É simplesmente fantástica e caríssima. Do cajú faz-se muitas coisas, mas a melhor e mais saborosa mesmo, é o suco, fresco como ele só e a castanha assada...

Beijos a ti e que tua semana seja boa. Fique bem e me dê notícias tuas!!!

Cris

 
At 01:20, Blogger Berro d'Água said...

Este comentário foi removido pelo autor.

 
At 01:21, Blogger Berro d'Água said...

Errei Félix... Fui postar pra Maria e postei pra ti... Deletei... Desculpas!!! estou mesmo muito cansada. Boa noite e ótima semana!!!

Beijos!!!
Cris

 
At 08:47, Anonymous Fa menor said...

A sede de conhecimento transporta-nos para lugares insondáveis... fora de nós!

Gostei muito!

 
At 23:42, Blogger Isabel José António said...

Querido Amigo Félix,

Por favor vá ao meu Observatório, deixei-lhe lá uma mensagem e um poema... E também foi a pensar na melancolia tão palpável que se sente neste seu post, que escrevi o texto do Caminho do Coração. Finalmente, acho que o belíssimo poema do José António no Poesia Viva também pode conter mensagens para si.

Xi coração e obrigada por estar aí.

Só um ser absoluto poderia abarcar o absoluto, mas todos através do nosso SER podemos tocar o infinito e, mais difícil ainda, UNS AOS OUTROS!

Isabel

 
At 15:20, Blogger Liliana said...

Olá.

Questionar-se é abrir-se e desabrochar como as flores que buscam a luz...


Um abraço

 
At 13:27, Blogger Isabel José António said...

Querido Amigo Félix,

Gostávamos muito de falar contigo. Ou por telemóvel ou por email.
Será possível deixar-nos, num dos nossos blogues, qualquer um desses contactos, e nós logo o apagaríamos?

Um grande abraço

José António

 
At 21:58, Blogger Cotovia said...

Desambientado
...um blog feito de sabedoria, num embrulho cheio de arte.


Parabéns

 
At 16:06, Blogger Chica said...

Muito emocionante teu texto! Lindo e triste! um abraço,chica

 
At 20:24, Anonymous Anónimo said...

Lindo.

 
At 21:52, Blogger São said...

Parabéns, Félix, o post está linndddoooo!!
Um abraço.

 

Enviar um comentário

<< Home