Comunidade Portuguesa de Ambientalistas
Ring Owner: Poli Etileno Site: Os Ambientalistas
Anterior Lista Aleatório Junte-se a nós! Próximo

2008-01-05

Poluição na chuva

Redonda é,
Redonda será.
Quem mais limpo do que ela,
No mundo estará?

É dicotómica,
Essa simples visão,
Porque a tabela periódica,
Está na sua composição.

Tem terra,
Tem ar,
Tem vida,
Tem morte,
E com um pouco de sorte,
Tem a batida,
Do mar.

Rodopia, por ser vida,
Cai, pois há gravidade,
Sente a necessidade,
De poder ser bebida,
De poder ser retida,
Nas flores que beija,
Ou no puro que deseja.

Se eu pudesse saber,
Quanto veneno trazes,
Faria cartazes,
Para bem alto dizer,
Quem afogarás
Quanto cancro trarás.

Redonda és,
Redonda serás,
Com o teu seio impuro,
O puro matarás.

E quem quer saber,
Do que aqui se versa,
Proponha uma cura,
Eficaz e segura,
O resto é conversa,
Pr’o problema esconder.

Félix Rodrigues

Qual é a cura que propões?
“Já não chove como antigamente” diria um saudosista ancião das nossas freguesias. “Não é pelas gotas terem formas diferentes, mas por aquilo que elas encerram”.
“Quanto mercúrio trazem?”
“Quantos termómetros construiriam com o mercúrio espalhado no estuário do Tejo? Existe um dedal de mercúrio em cada dois metros quadrados do fundo do maior rio português.”
“Quanto arsénio tem no seu peito? Quantos cães se matariam com o veneno contido numa pipa de água?”
“Quanto ácido sulfúrico engole? Quanta terra queimará?”, pergunta o velhote de barbas brancas que descansa num banco de praça da Vila.
Cai água e angústia do céu. Cai neve enegrecida nas montanhas. Caiem vidas sequiosas de água pura, porque já não chove como antigamente.
A água limpa, mas depois de limpar, tem que se depurar por lixiviação, nos solos cada vez mais sujos do mundo.
“Já não chove como antigamente”, digo eu, mas só tenho saudades da pureza que ela trazia. Herdei-a suja, mas não implica que me desresponsabilize de a limpar. Se eu tivesse a solução aplicá-la-ia. Mas essa não depende só de mim, é um bem comum e global. Sozinho só poderia limpar o cocuruto de uma simples gota de água.

Etiquetas: ,

25 Comments:

At 14:32, Blogger ILDA OLIVEIRA said...

Aqui cheguei vinda de outras Terras...
Estava atravessando o Oceano de regreço a a Lisboa...
Quando por ti passei...
Tuas Fotos e palavras me chamaram à atenção...
Aqui entrei com o maior Prazer...
Foi bom conhecer um pouco de Ti Irmão de Sentir...Pensar..e muitas Palavras...que nas entrelinhas muito mais diz..
Bem Hajas...Continua...
Ilda Oliveira
Beijo

 
At 15:49, Blogger Camarada Choco said...

Divulgação

Um Blog ,dois livros!

www.camaradachoco.blogspot.com

“Camarada Choco”

e

“Camarada Choco 2”
António Miguel Brochado de Miranda
Papiro Editora

Papelaria “Bulhosa” Oeiras Parque, Papelarias “Bulhosa”, FNAC ou www.livrosnet.com

Tema: Haverá uma fronteira entre os Aparafusados e os Desaparafusados?"

Filmes de Apresentação no “Youtube” em “Camarada Choco”

 
At 16:40, Blogger Mar said...

Gota de água. Fantásticas fotos, fantástico poema e uma discertação triste sobre a chuva negra e ácida.
É.. somos culpados também. Mas se tentássemos mudar a situação possivelmente passaríamos a ser ex-vivos.
Dizem que aprendemos com os erros mas.. não podemos nascer de novo e nem a Terra. Então, parabéns pelo tua postagem realmente real.

 
At 17:05, Blogger Fátima Silva said...

A água que vemos e da qual dependemos, apresenta-se tão bela e parece tão pura! Mas agora quando a olhamos amargamos a sua sorte e choramos o nosso infortúnio.
Um ano excelente!

 
At 17:31, Blogger O Profeta said...

Olá caro amigo este post fez-me recordar a fantástica conferência a que com muita honra assisti dada por si...visitá-lo é sair mais rico...


Fote abraço

 
At 19:38, Blogger Caiê said...

Não tenho a solução, mas lembrei-me de lhe deixar aqui um artigo que talvez achasse interessante ler:

http://www.sciencemag.org/cgi/content/summary/287/5459/1763

 
At 19:39, Blogger Caiê said...

http://www.sciencemag.org/
cgi/content/summary/287/
5459/1763

não sei porque é que o link ficou quebrado da primeira vez...

 
At 21:55, Blogger Hanah said...

Querido Felix,

vocês são ventos e estrelas guias, paragens onde posso aportar, aprender e me refazer, nessa imensa viagem de palavras e sonhos ...


Beijo Grande Amigo

 
At 22:25, Blogger geocrusoe said...

Olá Felix
Pois tenho a possibilidade de várias vezes por aqui passar. Não importa reler o mesmo. Há sempre um pormenor, uma informação, uma reflexão que antes teimou em não alcançar o cérebro. Parabéns por esta tua técnica e arte de chamares à atenção, de uma forma tão bela, para problemas tão feios... mas onde cada um de nós pode por um pouco de si para melhorar esta Gaia doente. Pena muitos responsáveis e seres "pensantes" não olharem o mundo assim, mas apenas para o seu umbigo ou interesse a curto-prazo.

 
At 23:18, Blogger oceanus said...

...uma simples gota...
fantástico este teu post...

bjs do fundo do Oceanus

 
At 01:28, Blogger Bruxinhachellot said...

As fotos são magníficas. As águas de hoje são mais raras e menos límpidas do que antes e muitos de nós sabemos o motivo.

Beijos tranqüilos.

 
At 01:56, Blogger Su said...

excelente escolha das fotos

gostei das palavras.....do pensar...do sentir......

li ..reli............... gostei

jocas maradas...sempre

 
At 13:25, Blogger serenidade said...

A poesia trás a verdade do Mundo. Nada se cria, tudo se transforma e o ser Humano tem sido o mais devastador de todos os animais. Tem até colocado sua própria existência em causa pela sua ambição e descontrolada sede de desenvolvimento tecnológico.

Tudo depende de nós. De cada um de nós depende ter um mundo menos poluído. Mas será que ainda vamos a tempo? Eu acredito que se unirmos esforços tudo se consegue:)

Serenos sorrisos

 
At 15:02, Anonymous Anónimo said...

Lindo...

 
At 19:02, Anonymous Anónimo said...

Um Bom Ano Novo para si! Obrigada. Rapariga das Laranjas.

 
At 20:12, Blogger Filipe Oliveira said...

Início da vida,
protectora,
essencial.
Mal compreendida, banalizada, vulgarizada.

Um dia... mais cedo ou mais tarde.

Até breve

 
At 23:14, Blogger Rui Caetano said...

Umas imagens tão bonitas, vivas de cor,vibrantes no pormenor e os textos que as acompanham equilibram ainda mais a profundidade sugestiva. Gostei.

 
At 12:45, Blogger Berta Helena said...

Olá Félix,

O poema é lindíssimo, gostei mesmo. E a chamada de atenção está perfeita. Nunca é em excesso que se fala destas coisas do ambiente. Pena é que os que têm poder não prestem a devida atenção.

Também eu gosto muito de cá vir.

Grande abraço.

 
At 15:28, Anonymous Anónimo said...

Lindo...

 
At 22:19, Blogger Nilson Barcelli said...

Como vem sendo hábito, o conjunto das palavras e das fotos é soberbo.

Os metais pesados, como o mercúrio, são um grave problema, ao qual quase ninguém liga, dado que o seu impacto negativo na saúde humana, e da vida animal em geral, só se manifesta a longo prazo.

A solução, no entanto, não é nada fácil. Cometeram-se muitos erros por ignorância eIou negligência e, agora, os metais pesados fazem parte da nossa cadeia alimentar...

Bom resto de semana, abraço.

 
At 23:31, Blogger Paulo Pereira said...

Farto de apenas ler e comentar posts, achei por bem fazer um. Mas logo me assaltou uma inquietação. O que é que eu, realmente, tenho para dizer?
http://basaltonegro.blogspot.com/

 
At 23:32, Blogger Oliver Pickwick said...

Enfim um blog muito bem ambientando, apesar do nome em contrário.
Logo a Ciência - fria como um iceberb, aqui se apresenta em versos, vejam só. Belos versos, por sinal.
Prezado Félix, parabéns por este espaço repleto de notas interessantes e belas imagens.
Saudações ecológicas!

 
At 11:22, Blogger O Profeta said...

Ergui-me ao vento na tua procura
Fundi um abraço com o sol da tua ternura
Modelei o amor com as palavras mais belas
Curso de errante espírito na tua procura

Porque o pensamento é voo de milhafre
Aprisionado em gaiola de palavras
O infinito e o incomensurável
Volto ao encontro das tuas profundas mágoas

Bom fim de semana

Aquele abraço

 
At 11:35, Anonymous Anónimo said...

Seu blog é muito lindo!!!
http://sex-appeal.zip.net
http://cara-nova.zip.net

 
At 12:04, Blogger Metamorfose said...

A água impura já a herdamos e também a falta de consciência do mal que provocámos, ainda existe esperança, pelo menos existe a consciência da gravidade da situação do nosso planeta, mas soluções meu amigo, penso que ainda não estão à vista e nós vamos vivendo com a esperança de que os nossos netos venham a herdar um planeta mais saudável. Sempre que te apeteça um passeio a pé é só apareceres, eu faço-te companhia.
Beijos para todos!!! E um bom fim de semana!

 

Enviar um comentário

<< Home