Comunidade Portuguesa de Ambientalistas
Ring Owner: Poli Etileno Site: Os Ambientalistas
Anterior Lista Aleatório Junte-se a nós! Próximo

2008-01-17

Homens ao Mar

Se eu for marinheiro,
Ou almirante no mar,
Quero ter um lugar,
Para poder ancorar.

Se eu for o faroleiro
Que a noite ilumine,
Quero ser o mensageiro,
Que a terra previne.

Se eu for o cancioneiro
Que a terra cante,
Quero ser o conselheiro
Do mar dissonante.


Se eu for o sinaleiro
Dos sinais do mar
Quero ser o primeiro
A podê-lo acalmar.

Se eu for o obreiro
De alterações globais,
Quero ser garimpeiro,
De soluções magistrais.


Félix Rodrigues

Dois terços das grandes cidades mundiais localizam-se em áreas vulneráveis à subida do nível médio da água do mar. O mar, quer queiramos ou não irá continuar a subir, como consequência do degelo das calotes polares e da expansão térmica das águas dos oceanos. Cidades como Tóquio, Xangai, Nova Iorque, Veneza ou Jacarta são extremamente vulneráveis a essa subida.

Cerca de 2% da superfície terrestre está vulnerável à subida do mar e nessas regiões vive 10% da população mundial.
Em Portugal, começam a despontar os problemas relacionados com a erosão costeira e a entrada do mar, apesar de no último século este só ter subido cerca de 17 cm. A Costa da Caparica em Almada tem sido palco, nos últimos anos de invasões do mar que tem entrado em terra à razão de dois metros por ano. Em Janeiro do ano passado a Liga para a Protecção da Natureza considerava “a actividade humana como a principal razão para o avanço do mar nas praias da Costa de Caparica.”. Na opinião da LPN, as causas da erosão costeira da costa portuguesa devem-se, essencialmente à actividade humana, pois o mau uso do território “reduz a capacidade de consolidação de toda a orla costeira”.
Em Esmoriz - Ovar, a praia tem cada vez menos areia e cada vez mais rocha e os pescadores, vivem em constante sobressalto, com medo de perderem as suas habitações.
Há que repensar a ocupação do litoral e prevenir-nos, pois a relocalização de pessoas e a construção de estruturas de protecção tem um preço muito elevado.

Foto captada nos Biscoitos-Terceira, Açores


Nos Açores o mar também teima em entrar, de vez em quando nas Lajes do Pico, ameaçando a escola e algumas habitações daí, que se tenha optado pela construção de uma obra de protecção. O Governo Regional dos Açores comparticipou em cerca de um milhão e 630 mil euros essa empreitada e muito mais terá que comparticipar se não forem desde já estabelecidas medidas de mitigação para a subida da água do mar na Região. Por outro lado é imperioso ter-se um bom plano de ordenamento da orla costeira nestas ilhas, e mais do que isso, cumpri-lo.

Etiquetas:

23 Comments:

At 22:20, Blogger geocrusoe said...

Nos Açores existem ainda mais zonas habitadas muito vulneráveis à subida do mar, casos da Ribeira Quente, parte baixa da Povoação e sem esquecer a quase toda a zona comercial e central da cidade da Horta, onde a avenida foi feita para a sua protecção tendo em conta o nível do mar em meados do século XX, mas o nível de influência das maré está nos alicerces de várias casas.

 
At 14:29, Blogger Hanah said...

é o que já és....


deixo-te um beijo de fim de semana...

 
At 14:41, Blogger Menina_marota said...

Conheço bem Esmoriz. Fiz lá praia durante alguns anos e corta-se-me o coração quando por lá passo...

Um excelente texto que gostei de ler.
Um abraço ;)

 
At 14:53, Blogger Mar said...

Então Felix, pelas minhas pesquisas inclusive baseada nas tuas pesquisas, as chances do crescimento urbano estacionar ou continuar nos proximos 50 anos sem um apocalipse é de zero por cento. Vejo a humanidade daqui a 20 anos reduzida a 1/100 do que há hoje baseado no crescimento disparado dos humanos na face da terra hoje. Quando há animais de uma espécie demais, o homem elimina grande parte para que haja o equilibrio. Humanos demais causam desequilibrio e nossa eliminação será pelo efeito colateral dos nossos próprios atos. Bom fim de semana guerreiro.

 
At 16:20, Blogger Fátima Silva said...

As "metamorfoses" do ser... serão elas capazes de despertar para a emergência de novas atitudes tomar?
Os titãs (grandes grupos económicos) dominam os destinos da terra e nós compactuamos diariamente com eles... basta pensar na subserviência que lhes devotamos ao acarinharmos os seus produtos...
Mas qual a relação entre a subida do nível médio da água do mar e o consumo?

(Nota: Muito obrigada pela visita ao meu blog e pela sua indicação para a comunicação. Uma honra! A poesia do post é a letra de uma música de Ben Harper, músico norte americano que a escreveu em 2003. Achei-a fenomenal.)
Óptima semana também para ti.

 
At 19:16, Blogger Laurentina said...

Meu amigo,há perguntas que são escusadas...

bom fim de semana
beijão grande

 
At 19:43, Blogger Su said...

há que repensar..............

pois infelizmente os homens os ditos coerentes, lucidos, logicos, inteligentes, enfim sapiens.........são muito animais

como sempre excelentes teus post

e merci...já estou melhor ,sim. bronquite.pois.

jocas maradas...sempre

 
At 21:01, Blogger Berro d'Água said...

Olá Félix!!!

Gosto das coisas que escreves, mas hoje prefiro a primeira parte...

As águas sempre tomam o que consideram ser delas, dizia minha avó materna, quando se referia aos muitos aterramentos para a construção de vias públicas, prédios e coisas variadas onde um dia havia praias e águas do mar, mas o que temos visto é sempre resultado do avanço humano, que sempre quer e sempre busca mais e mais...

Náo estou bem não, pois continuo a me incomodar por coisas que aconteceram ainda envolvendo a "expedição" mas logo estarei melhor. Vou te escrever para teus endereços e te explicarei melhor por lá.

Beijinhos para teu final de semana!!!

Cris

 
At 08:35, Blogger LUA DE LOBOS said...

aleluia!!!!!
alguém que fale português e que fale a seco e a frio neste drama que se avizinha a passos de gigante e que parece nem sequer dar um belisco em ninguém... isto parece a história da SIDA quando em todo o mundo se começava a entrar em pânico, em Portugal se discursava em tom desdenhoso de "isso" não existia cá !!! é que somos todos acima de qualquer suspeita...seja no que for!!! até na subida incontornável das águas... que disparate ... isso é para os outros!!!!!!!!!
mas que m.... de gente!!!!
xi
maria

 
At 16:18, Blogger Paula said...

Que blog interessante!
Pelas palavras e pelas imagens! Lindo!
Abraço

 
At 11:29, Blogger Metamorfose said...

Pois meu amigo, trazes-nos sempre aqui textos que nos lembram como o ser humano é egoísta e ambicioso e na sua arrogância, acha-se o todo poderoso que até na natureza-mãe pode mandar, agora colhe os frutos da sua ignorância. O mar que eu tanto gosto, tanto pode ser um sonho, como medonho...
Já vi que a CO te deu noticias, vamos esperar que esta má fase passe. Um beijo para todos!!!

 
At 14:12, Blogger Oliver Pickwick said...

Além das Ciências Físicas e da preservação do meio-ambiente, percebo também o talento de escrever em versos do amigo, como mostrado nessa poesia ecológica, por sinal, ilustradas com imagens deslumbrantes.
Quanto aos dados descritos mais adiante, são de impressionar. Aqui no Brasil, no fim do século XIX, início do séc. XX, houve um missionário revolucionário - tido como louco, que profetizou: "o sertão vai virar mar, e o mar vai virar sertão".
Talvez não fosse tão louco como imaginavam.
Abraços

 
At 14:22, Blogger oceanus said...

...esta é uma grande verdade e já sentimos os seus efeitos ...

fantásticas as imagens...
magnífico o texto...

bjs do fundo do Oceanus

 
At 15:25, Anonymous Nancy Moises said...

Obrigada pela sua visita e palavras deixadas em meu blog.Estou fuçando tdo por aqui e matando tiquinho as saudades estava de ferias mas tô voltandooooo....Ofereço a vc o NOVO AWARD do lua em poemas .
Ainda em janeiro volto com os destaques convido a fazer a inscrição é so clicar no selo do lado na lateral ..
Bjs e uma otima semana procê...

 
At 17:11, Blogger Cadinho RoCo said...

Cá mais para o sul do Brasil, pouco ao norte do Rio de Janeiro o mar entra com violência por lugarejos, numa invasão que já faz parte do calendário. Ele sempre entra quando chega o mês de abri, nesta região.
Cadinho RoCo

 
At 10:47, Blogger Berro d'Água said...

Tenho observado uma sutil mudança nesse teu espaço... Algo de mais sólido e sempre delineado pela tua natural e artística forma de revelar tuas preocupações, mas de uns tempos para cá notei numa definição maior nas linhas e perfil de conduta...

Te respondi e já está em tua caixa postal. Vá até lá para ler, quando puderes. Te agradeço de coração por tua atenção e cuidado.

Beijo,
Cris

 
At 10:49, Blogger Berro d'Água said...

Esqueci de comentar...

Adorei saber do Festival de Cinema. Quisera poder assitir, mas faça-o por mim e me repasse depois, tá???

Outro beijo!!!
Cris

 
At 10:52, Anonymous Anónimo said...

Fico muito preocupado...
Joe

 
At 22:11, Blogger Nilson Barcelli said...

Como é usual, mais um excelente post.
As fotos e o poema formam um conjunto perfeito

A subida do nível da água do mar é quase irreversível, a menos que se tomem medidas drásticas e globais a curto prazo.

Abraço.

 
At 23:12, Anonymous Anónimo said...

oi felix
Só par te dizer que adorei este post, que é uma bela maneira de reflectir no nosso futuro e dos nossos filhos. abraços

www.ideiaseideais.blogs.sapo.pt

 
At 13:28, Anonymous Anónimo said...

Essa deveria ser uma preocupação global.
Xana

 
At 17:22, Anonymous joao monjardino said...

Nos Açores estamos muito menos vulneráveis à subida do mar do que na Europa continental. De facto, por não termos plataforma continental a Natureza encarregou-se de nos mostrar que recuar a construção é a única opção no meio do Atlântico. Essa foto que tirei no Natal de 2006 é uma pequena amostra da potência do mar na Costa Norte dos Açores que já reclamou mtos tetrápodes de 30 toneladas por todo o Arquipélago. Essa e outras fotos podem ser vistas em: http://olhares.aeiou.pt/monstro_da_costa_norte/foto945137.html

 
At 18:27, Anonymous joão monjardino said...

enganei-me no link... a foto pode ser vista em: http://olhares.aeiou.pt/monstro_nos_biscoitos/foto1735287.html

 

Enviar um comentário

<< Home