Comunidade Portuguesa de Ambientalistas
Ring Owner: Poli Etileno Site: Os Ambientalistas
Anterior Lista Aleatório Junte-se a nós! Próximo

2008-01-25

Carnaval da Ilha Terceira - 2008

Nesta minha ilha Terceira,
Do Arquipélago dos Açores
Há teatro a noite inteira,
Há centenas de actores.

Saem à rua por três dias,
Na altura do Carnaval,
Nas suas alegres folias,
De todos nós falam mal.


Dizem tudo a rimar
Como nesta tentativa,
Levam meses a planear,
Esta loucura colectiva.


Dizem com ar afoite,
Que o Carnaval são seis meses,
Que a Páscoa é de noite
E o Natal só p’ra fregueses.,
Daqueles que tem dinheiro,
P’ra tudo poder comprar,
Mas de gosto bem foleiro,
P’ra os podermos desculpar.

O dinheiro não é tudo,
Nem o mais importante na vida,
O bom, é mesmo o Entrudo,
E a loucura desmedida.
E por falar em loucura,
É o que mais há por aí,
É coisa que muito se atura,
A quem nos governa aqui.

Fecharam, com arrogância,
Cem maternidades num mês,
Nasce-se numa ambulância,
Ao quilómetro trinta e três.

Fizeram um estádio de futebol,
Nos confins da Palestina,
Com o dinheiro do álcool,
Que pouparam na medicina.

A nossa lei do tabaco,
Não se aplica à ASAE
P’ra eles é afrodisíaco
Só a nós dinheiro extrai.


Dizem que o povo é ignorante,
P’ra decidir sobre um tratado,
Mas escolher um representante,
P’ra isso já é habilitado.

Aqui poupa-se na farinha,
Para se gastar no farelo,
Depende da panelinha,
Sobretudo, do marmelo.


Félix Rodrigues

O Carnaval da ilha Terceira integra a Fundação Europeia das Cidades com Carnaval, tutelada pela UNESCO. A iniciativa de integrar o Carnaval Terceirense nessa Fundação foi da responsabilidade da antropóloga Antonieta Costa, natural da ilha Terceira.
A Doutora Antonieta Costa desde sempre que defende, apesar da crítica em que tal posição a tem colocado, que o Carnaval Terceirense "É uma revisão dos procedimentos sociais daquele ano para purificação da sociedade e para melhor sucesso nas próximas sementeiras”. Vê estas manifestações “na perspectiva dos acontecimentos agrários em que se enquadravam quase todas as celebrações do solstício e dos equinócios". Essa antropóloga vê assim as manifestações do Carnaval da Terceira como um louvor à natureza e a aceitação dos ritmos da própria natureza.
Será ou não, o Carnaval da ilha Terceira, marcado pelo espaço natural que ocupa, pelo clima que a agarra, ou pelas brumas da memória?
Não haverá semelhança entre as danças de Carnaval da Terceira e as Murgas das ilhas Canárias?

O Carnaval não se vive só na ilha, e apesar de se afirmar que o Carnaval do Rio tem raízes portuguesas, até mesmo açorianas, a verdade é que o Carnaval sempre foi festejado nesta e noutras ilhas, desde que se regista a sua memória.
O Carnaval sempre existiu na Europa e não é uma invenção portuguesa, por exemplo, a Federação que reúne cerca de meia centena de países e mais de uma centena de cidades, tipificou até agora dez formas distintas de celebrar o Carnaval na Europa. Ele é típico na Alemanha, na Holanda e na Bélgica, países que festejam o Carnaval com manifestações reconhecidas como suficientemente independentes para formarem um tipo.
Quem não conhece o Carnaval do Rio de Janeiro? Mas há outras manifestações de Carnaval no Brasil, quiçá, mais típicas do que as do Rio de Janeiro.


Quem não conhece o Carnaval de Veneza, ou de Espanha?

Em Portugal, o Carnaval da Madeira, de Ovar, de Loulé, são variantes do Carnaval re-importado do Brasil, e não deixa por isso de ser uma manifestação de Carnaval.

Há ainda no nosso país valiosas manifestações de Carnaval efectivamente genuínas, como os Caretos de algumas aldeias de Trás-os-Montes, e sem dúvida, o Carnaval Terceirense.

Etiquetas: , , , , , , , ,

21 Comments:

At 10:37, Blogger Hanah said...

Olá Felix,

Estive assistindo a pouco sobre o Carnaval dos Caretos, mais importado aqui para o nordeste do Brasil, muito intessante, é muito bom que não se perca essas tradições populares e também suas mesclas tendo sempre a referência de seu "nascimento"....

Li rapidamente o seu post e entendo um pouco o que dizes, muito bom samba-enredo, alegria, alegoria na avenida ... e quarta feira é de cinzas...

Quanto ao Forum, também tenho curiosidade em participar, mais estou em Salvador-Bahia...

Gosto da idéia do Eco-Cine...
Menor mais sucinto e quem sabe mais eficaz...

o post foi para dar uma regada nas sementes ....

Beijo de Belissimo fim de semana para ti amigo...

 
At 12:36, Anonymous Anónimo said...

Bela crítica.

 
At 13:21, Anonymous Anónimo said...

Olá!
Estive algum tempo offline com o blog http://love-fashion-fever.com/ , mas felizmente já voltou tudo ao normal.
Agora vai começar a época dos concursos e os respectivos prémios.
ESpero lá a tua visita e também espero um comentário teu :)

Lady,
http://love-fashion-fever.com/

 
At 13:37, Blogger Su said...

gostei de saber.......
aqui faz.se a loucura colectiva..... cantigas de mal dizer.....o dinheiro existe a bem do mar...

..O dinheiro não é tudo,
Nem o mais importante na vida,
O bom, é mesmo o Entrudo,
E a loucura desmedida.
E por falar em loucura,
É o que mais há por aí,
É coisa que muito se atura,
A quem nos governa aqui.


assim é

jocas maradas de tempo

 
At 13:53, Blogger Berro d'Água said...

Um lindo final de semana também pra ti e que o carnaval pinte de muitas cores, teus dias e tua vida!!!

Beijos,
Cris

 
At 13:59, Blogger Fátima Silva said...

Já nos espreita o Carnaval
com a sua frenética energia
aproveita-se p'ra falar mal
de tudo e de todos com alegria.

Gosto do Carnaval! Gostei muito do post.

(Continuo a trabalhar arduamente, sim... as mãos não param de escrever, mas o processo é lento)

Um óptimo fim de semana

 
At 15:27, Blogger O Profeta said...

Olá Amigo Felix Rodrigues, mais um fantastico post com usos e custumes destas ilhas encantadas, a Terceira tem uma riqueza etnografica impar, e pessoas de alto valor, como é o caso do meu caro amigo.
A conferencia a que assisti foi sobre a água e o brilhantismo da mesma fez-me ficar com uma particular admiração por si...
Mas o abraço que nós selamos um dia depois terá sido o pacto aos dez Reis que governavam a ilha e terme-á convencido que ser ilhéu é ser pedra rodada no fim da ilha, trazida pela maresia...


Aquele abraço

 
At 17:03, Blogger São said...

Deixe-me vir matar saudades dos Açores, sim?
Estive aí nos últimos dias de Julho e fiquei maravilhada!!
Bom fim de semana!

 
At 10:58, Blogger soslayo said...

Desambientado:

Amigo Dr. Félix. Belíssima explanação do Carnaval tanto Terceirense como de outros pontos do nosso Portugal onde isso acontece assim como nos restantes paises sobejamente conhecidos. Gostei sobremaneira do teu poema sobre o Carnaval. Muito oportuno sim senhor. E, ninguém leva a mal por que é Carnaval.

PS. Tive pena de não poder ter aceite neste Natal passado um convite para visitar a Ilha Terceira mas, devido a afazeres profissionais que não o permitiram. Um grande abraço.

 
At 22:18, Blogger Oliver Pickwick said...

Excelente poema, me lembrou os bardos da idade média e suas cantigas burlescas.
Quanto ao carnaval do Rio, caro amigo, desde há muito representa muito pouco ou nada da cultura brasileira, tornou-se uma Las Vegas ambulante e ridícula para turista ver.
Por outro lado, em Olinda, interior do Estado de Pernambuco, ainda celebra-se o carnaval de raiz e representativo dos costumes do Brasil.
Agora, se o negócio é divertir-se e cair na gandaia, o carnaval é em Salvador, a minha cidade e capital da Bahia. Durante quatro dias são mais de três milhões de pessoas dançando atrás dos muitos trios elétricos, um engenho sobre rodas, gigantesco, que mais parece uma nave espacial.
Abraços

 
At 01:07, Blogger Rose said...

Passando para te desejar uma excelente semana querido Felix e aproveitando seu post cultural...

beijos

 
At 09:02, Blogger Mïr said...

Bom carnaval.

 
At 15:14, Anonymous Anónimo said...

Excelente crítica.
Joe

 
At 23:03, Blogger oceanus said...

uma boa escolha de imagens...e que festival de cores.

Uma boa semana e ...bom Carnaval!

bjs do fundo do Oceanus

 
At 20:38, Anonymous Anónimo said...

Uma tradição antiquíssima..

 
At 23:19, Anonymous Azoriana said...

Adorei ler a rima carnavalesca com a perfeição que aqui venho sempre encontrar. Excelente visão.

Deixo um pouco do meu Carnaval:

Carnaval
É a Dança verdadeira
É a alma da Terceira
Brindando os Açorianos
Carnaval
É um mar de euforia
Uma onda de poesia
Vai e volta todos os anos.

O resto está num artigo que postei.
Aproveito para informar que o blog do Pipoca teve de ser "abatido". Um dia talvez regresse.

Abraço e Bom Carnaval

 
At 22:31, Blogger Nilson Barcelli said...

Vou repetir-me, mas continuas a fazer posts de grande qualidade, literária e fotográfica.
O poema está soberbo.

Um abraço.

 
At 08:45, Anonymous Anónimo said...

Pelos vistos os terceirenses são viperinos.

 
At 10:19, Blogger Berro d'Água said...

Bom dia!!!

Gostei muito da borboleta colorida e esvoaçada, mas com carinha de gente... tadinha dela, né???

Gostei também de receber por tabela, a indicação do Berro d'Água que por certo não é interessante, mas é um pouco de mim e mostra um pouco do que eu sou ou ao menos, estou.

Vim te desejar também, um lindo final de semana de carnaval e que te divirtas bastante!!!

Beijo,
Cris

 
At 10:37, Blogger Berro d'Água said...

Nunca gostei do carnaval e por certo é por ver nele, a catarse que bruma as verdades do dia a dia, mas em termos de Brasil, há sim diferentes modos de se brincar o carnaval e completamente distintos são eles e mesmo quando se trata de lugares vizinhos, como é o caso do carnaval de Salvador e o Recife, Olinda e por aí vai. O estilo do carnaval do Rio, que é o representant oficial dessa manifestação popular, andou sempre sem concorrente, por ser mesmo único tanto na grandiosidade, quanto na beleza apresentada ao público, mas hoje São Paulo tenta seguir a mesma linha e já é tão grande quanto, mas o Rio é quem detém a ginga, a maneirice que tão bem espelha o folião brasileiro, sem falar na esperiência, é claro.
Para além desses há muito carnaval de blocos que se lançam nas ruas e os de salão,com suas marchinhas chatas de doer. Do carnaval de rua e de blocos, os do nordeste brasileiro são os melhores e os do interior então, ganham dispado. Lá temos um festival de cores, criatividade e talentos, para esbanjar e de fazer render-se até os que menos apreciam essas festas, como eu.

Aqui na ilha o carnaval acontece como no Rio de Janeiro, numa grande passarela e também com blocos de rua em diferentes formas, mas o mais interessante para mim ainda é o carnaval dos mascarados que só acontece nas freguesias e com os descendentes dos açorianos, onde cada um se veste de forma a não ser reconhecido por ninguém e com as faces totalmente cobertas. Mudos, sem falar ou cantar, brincam aos sons dos tambores. Já a muito que eu não os vejo, mas sei que ainda existem e resistem ao tempo.

Boa folia!!!
Beijo,
Cris

 
At 10:23, Blogger TF said...

Olá!
Nunca gostei muito do Carnaval mas talvez aí na Terceira seja diferente.
Bom Carnaval. Beijinhos.
Teresa

 

Enviar um comentário

<< Home