Comunidade Portuguesa de Ambientalistas
Ring Owner: Poli Etileno Site: Os Ambientalistas
Anterior Lista Aleatório Junte-se a nós! Próximo

2007-05-19

Corvo malandro

Corvo, velhaco, ladrão.
Roubaste uma cratera extinta,
A um enorme vulcão.

.

.Corvo negro de bico forte,
Tiraste uma ilha do mar
E abandonaste-a à sua sorte.
.

Fotografia em "Candidatura ilha do Corvo a Reserva da Biosfera"

.C

Corvo, quem te quer domesticar,

Sem te pôr a mão no tarso,

Sem te ter que povoar?

.

Corvo preto, mentiroso.
Deste o teu nome a uma ilha,
Sem que nunca lá pousasses.
Mesmo que não acreditasses,
trouxeste beleza à tua filha,
De terreno pedregoso,
De encostas inacessíveis,
De paisagens apetecíveis
E ambiente fabuloso.

.

Fotografia em "Candidatura ilha do Corvo a Reserva da Biosfera"

.Se algo lhe transmitiste,

Não foi a tua genética.

Na face tem a poética,

De um mundo que nunca previste.

.

Fotografia em "Candidatura ilha do Corvo a Reserva da Biosfera"

Félix Rodrigues

O que gostarias de transmitir ao mundo, sem mentir?

19 Comments:

At 09:52, Anonymous aninhas said...

A verdade. A verdade porque. mesmo essa, tem sempre algo de não verdade.

 
At 11:30, Blogger Trequita said...

Que eu tenha a iniciativa para guiar meu caminho pela estrada mais correta.
Fazer o que quiser, sem prejudicar ninguém.
Ter clareza para discernir a luz das trevas.
Alcançar com êxito meus desígnios.
Preservar meus amigos.
Respeitar todo ser vivo na face da Terra e fora dela.
Levar o amor dentro e fora de mim.
Ter o amor mágico em meu corpo, alma e espírito.
Ser a virgem, a amante, a mãe, a sábia, ter mil nomes.
Expandir idéias e sentimentos em todos os corações.
Ter estabilidade em todos os níveis.
Lidar adequadamente com mudanças inesperadas.
Conquistar abundância e prosperidade em todos os níveis.
Ter em mim o poder da transmutação.
E também o encanto da sedução e da paixão.
Que possamos sempre atravessar as brumas,
as fronteiras do tempo e do espaço
e que se nos revele o que nos é permitido.
(*tradução e adaptação de um encantamento*)

 
At 11:32, Blogger Margri said...

Obrigada por nos dares a conhecer um pouco da ilha do Corvo, à mistura com um belo poema.

Abraços.

 
At 16:29, Anonymous Mel de Carvalho said...

Uma ilha aqui tão perto - "Ilha do Corvo" e no entanto, eu que vivo (Peniche) em frente a outra (Berlenga), nunca visitei.

Também a Berlenga é Reserva. Aqui, para além dos Corvos Marinhos, as gaivotas e os albatrozes enchem a Ilha de beleza e poesia. São as "ninfas" de muitos dos meus poemitas...

Gostei de conhecer este blog. Vim vindo através de blogs de amigos comuns (a Vida, por ex.). Lancei âncora e cá voltarei certamente.

Quanto à questão do que gostaria de transmitir ao Mundo sem mentir, diria que o respeito pelo espaço que aqui encontrei ao nascer. Ou seja sentido e prática de Preservação Ambiental (até porque tenho uma filha Bióloga, Especialidade Marinhos). Este discurso de conservação ambiental é recorrente nas nossas vidas ...

Um abraço de uma "desambientada"

Mel de Carvalho
in
www.noitedemel.blogs.sapo.pt
www.maresiademel.blogs.sapo.pt

 
At 11:42, Blogger foryou said...

Venho matar mais saudades :) E continuas a conjugar muito bem as fotos maravilhosas com as palavras apropriadas.

 
At 12:12, Blogger Morrigan said...

Fotos lindas acompanhadas de palavras intensas. Fiquei com uma vontade ainda maior de conhecer os açores...parabens pelo teu canto. Voltarei. Beijos

 
At 17:49, Blogger asn said...

"Quando todas as tropas estavam já prontas para a arrancada pousou um corvo, no alto de um pinheiro, que começou a agitar as asas com frenesim e a crocitar com alegria. Tal facto muito contentou as tropas do Rei Afonso e mais os entusiasmou por verem nele um sinal de bom agoiro para a empresa que iam cometer: a conquista do Castelo de Leiria. Este acontecimento é hoje memorado no brasão da cidade de Leiria, que mostra um corvo em cima dos dois pinheiros que ladeiam a sua torre central."...
http://www.rt-leiriafatima.pt/lendas.php?idreg=1

Neste endereço pode ler-se a lenda da cidade de Leiria, com o CORVO como tema central, ligado ao seu castelo e a D. Afonso Henriques.
Coincidências, a propósito deste belo post.
Um abraço
António

 
At 22:24, Blogger o alquimista said...

Sabes caro amigo no ambito das minhas funções profissionais já estive na Ilha do Corvo várias vezes e conheço-a muito bem e Às sus gentes, é um tesouro que urge preservar...


Forte abraço

 
At 16:21, Blogger Isabel José António said...

Querido Amigo Féliz,

Já as palavras perdem sentido perante as coisas que "postas".
As palavras já não expressam a totalidade do que se sente e vê perante o teu blogue.

Merecidos parabéns.

Quanto ao que gostaria de transmitir ao mundo sem mentir diria, por exemplo:

A cooperação é a palavra de ordem, para o progresso e o bom senso que levasse a humanidade a "abrir a pestana" para o "buraco sem saída" para onde se está a dirigir. Não a competição. A competição apenas apura o que é mais forte. Mas o mais forte, regra geral, não é quem dirige melhor.

No início dos tempos, depois do caos, foram as partículas subatómicas que, através da sua interacção e cooperação, deram lugar à formação de todo o Universo, a todos os planetas e estrelas e à Terra e à vida na Terra. Se não fosse essa interacção e cooperação onde estaria a Vida na Terra?

Ora, se nós somos compostos por milhões de partículas subatómicas; se estas cooperaram entre si, para nos manter a funcionar; se dentro de nós existe o micro cosmos e somos como o macrocosmos, estamos à espera de quê, para cooperar uns com os outros?

Se queremos que o Planeta Terra (também ele um grande ser vivo)dure mais que os 80 / 100 anos, que tem de vida previsível, a manterem-se as actuais condições de poluição e degradação aceleradas que existem hoje, devido à ganância e falta de discernimento, é tempo de COOPERAR.

É tempo de se parar com esta cegueira que conduzirá à destruição do planeta muito antes do tempo cronológico previsto...

Hubert Reeves, renomado astrofísico, dizia, com fino humor, a seguinte anedota:

"Um planeta são encontra um planeta doente:

- Que foi que te aconteceu?
- Nem queiras saber! Apanhei a humanidade!
- Descansa! Eu também tive essa infecção mas, imagina, é mal que se autocura. Desaparece por si"

Oxalá este humor não se confirme e mudemos de rumo todos.

Um grande abraço e, mais uma vez, parabéns.

José António

PS.:
Também já colocámos os "Memes" nos nossos três blogues.

 
At 22:44, Blogger foryou said...

Agora vai lá e desembrulha-te!!! É castigo de estares aí nessas ilhas lindas a fazer-me inveja!!
****

 
At 19:55, Blogger Micas said...

Os Açores são ilhas de magia que anseio conhecer, um dia...

Qt ao que gostaria de transmitir ao mundo, faço minhas as palavras da "Isabel José António"

Beijinho

 
At 22:32, Blogger Nilson Barcelli said...

Belíssimo post.
Uma maneira interessante de nos mostrar o corvo malandro... e uma ilha que fica tão longe que quase ninguém se lembra dela.
Mas há ainda quem procure trazê-la para a nossa memória: tu próprio e um empresário das Ilhas (Bensaúde), que dentro em pouco terá um navio chamado CORVO a operar por aí.
À tua pergunta, respondo que gostaria de transmitir tudo que sei de interesse para os outros sem mentir, muito embora isso não seja nada fácil.
Um abraço.

 
At 00:21, Blogger Dourado said...

Não conheço a Ilha mas já voto pra q ela seja o q quiser.

 
At 09:27, Blogger Era uma vez um Girassol said...

...que é possível ser feliz, amando as coisas simples, de coração aberto.

Félix, este post está muito original...Belas fotos, duma terra selvagem.

Convido-te para uma taça de champanhe, porque sempre fizeste parte da minha tribo de girassóis!
Bjs

 
At 14:24, Blogger Vida said...

Félix, não conheço o Corvo com muita pena minha, nem sei se um dia lá irei, acho que só se for de barco...a minha alergia a aviões, muito menos pequenos. As fotos são sensacionais, os poemas fantásticos, agora o que eu gostaria de transmitir ao mundo sem mentir... que viver é tão simples e nós complicamos e estragamos tanto sem necessidade.

Boa semana e beijinhos para todos!!!

 
At 19:39, Blogger Bruxinhachellot said...

Belíssimas imagens. Não tinha conhecimento dessa ilha.
Eu gostaria de dizer e me fazer entender, que a vida é para vivermos e ninguém é mais poderoso que o outro nem mais sábio, nem mais rico ou mais bonito. Somos todos iguais e devemos viver igualmente. Se as pessoas entenderem o significado dessas palavras, o mundo está salvo.

Beijos de vinho.

 
At 20:09, Blogger Rui said...

É sem dúvida a par das Flores, um dos sítios em Portugal mais pacíficos, onde o mar e a terra se encontram na plenitude.

 
At 20:57, Blogger nanda said...

Guardo a imagem do Corvo como comunidade na verdadeira acepção da palavra. Estavamos em Agosto de 1969, passei um dia na ilha do Corvo, na companhia de um grupo de florentinos que estudavam no Liceu da Horta, enquanto o navio Ponta Delgada descarregava os mantimentos.Estava toda a população no cais aguardando a chegada do barco, era dia se "São vapor", vinham espreitar "os passantes",não havia carros, não havia chaves nas portas, o nosso almoço foi nas margens do Caldeirao com pão caseiro, queijo e vinho que nos foi oferecido pelos Corvinos.A tarde foi passada no terreiro ouvindo as histórias do "rei do Corvo"e bailando.

Que dia maravilhoso! Que terra maravilhosa!

(Hoje já não é nada assim)

As fotos são lindas e o poema também

Boas festas do Espirito Santo

 
At 19:00, Anonymous Fontez said...

paisagens lindas pois...!
transmitir amor dear, transmitir ao mundo Amor!
bjs

 

Enviar um comentário

<< Home