Comunidade Portuguesa de Ambientalistas
Ring Owner: Poli Etileno Site: Os Ambientalistas
Anterior Lista Aleatório Junte-se a nós! Próximo

2006-09-24

A cidade e o campo


Mal conheço os meus vizinhos
Que naquele ramo se agasalham,
Os filhos ficam sozinhos,
Enquanto seus pais trabalham.
.
Ao virar da plantação,
Logo após aquele muro,
vive um rato ladrão,
Que tem um negócio escuro.
.
À esquerda do galinheiro,
Depois daquela gaiola,
Está um cachorro rafeiro,
Sempre a pedir esmola.
.
Debaixo da velha nora
Debicam-se dois pombinhos,
Escondem-se como quem namora
E andam sempre juntinhos.
.
Aquela vaca arredia,
À procura de parceiro,
Salta paredes, a vadia,
Nunca gosta do primeiro .
Félix Rodrigues
Que semelhanças encontras entre o campo e a cidade?

14 Comments:

At 11:06, Anonymous Lília said...

Em primeiro lugar, quero dizer que a foto do cão impressionou-me, fartei-me de olhar e de voltar a ver. Está fantástica, fabulástica!

...
Tanto no campo como na cidade, à gente boa e gente maldosa. Há dores e corações apertados, há alegrias e festejos.
Há defeitos e virtudes, sem fronteira a dividir os da vila de cima e os da vila de baixo, que é como quem diz a cidade e o campo.

Penso que nas nossas ilhas, cada vez mais o campo e a cidade se misturam, não existe diferença alguma.

Beijinhos

 
At 12:50, Blogger Micas said...

As fotografias estão excelentes, principalmente a montagem do cachorro´. Sem dúvida que é sempre um enorme cá vir.
Beijinho e boa semana

 
At 13:28, Blogger azoriana said...

Apeteceu-me rimar

P'los olhos se conhece o freguês,
Que espera a esmola alheia,
Há que se saber os porquês,
Da vaca ser dessa maneira.

Fico presa às cantigas
Que dão muito que pensar,
P'ra ti dou palavras amigas
Por seres bloguista exemplar.

Toda a pessoa que é honesta
Por dentro corre-lhe o bem
A mentira é que não presta
Destrói a vida de alguém.

"Bichinhos" tomai atenção
Qu'a vida não está p'ra graças
Quando se perde a tal devoção
Na natureza há desgraças.

Se molesto a pontuação
Nem se atrevam a falar mal
O que interessa é a acção
P'ro bem de todos em geral.

Quer seja campo ou cidade
Existe sempre UNA semelhança:
Olhar p'la solidariedade
Mais ao velhinho e criança.

Nota: Saiu-me e oxalá tenha a ver com o assunto do artigo :)
Foi escrita imediata e não faço revisão porque podia sair "pior a emenda que o soneto". A inspiração veio do artigo que me prendeu a atenção algum tempo e li mais que uma vez porque é o efeito que os artigos de Félix Rodrigues me fazem. Prende-me a atenção pela perfeição e nem olhei à pontuação.

Abraço de simpatia :)

 
At 13:32, Blogger azoriana said...

Como é que se organiza um "Serão de Improvisos poéticos"?
É que gostava de ouvir o Félix Rodrigues a declamar os seus poemas. Digo isto muito sinceramente.
E quem sabe mais bloguistas aderiam. Sei de mais uns quantos que certamente ficavam bem satisfeitos. Eu é que não consigo fazer essa "cena" sozinha... como sempre acontece a quem tem talvez "sonhos impossíveis". Há que haver alguém com dinâmica e conhecimentos maiores a intervir com garra.
Tenho escrito. E vou parar porque hoje é 2ª feira de São Carlos e ala para a festa (os que podem ir).

 
At 13:33, Blogger Natália de Abreu said...

Quer a cidade quer o campo são pontos de de convivência de seres vivos.

Lamento que as cidades cresçam enquanto aglomerado populacional mas não em termos de afectos e de civismo...

Beijos nata

 
At 22:26, Blogger aprendiz de viajante said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

 
At 22:27, Blogger aprendiz de viajante said...

Temos o mesmo céu, o mesmo sol, a mesmas lua... quem viver nas nuvens, sonhando acordado, nem se apercebe que a terra é que é diferente!!!

Um abraço e muito obrigada pelas palavras tão gentis que deixaste no meu blog.

 
At 19:51, Anonymous ilhas said...

desculpe , não ter vindo aqui a tempo informar-lhe que era o destque da semana no ideias, só que era dificil comentar aqui.... não sei o que se passou , tentei várias vezes e nada. este post diz muito sobre a maneira como hoje se vive, adorei!
aos destacados ofereço sempre um prémio, award, se quiser pode passar pelo ideias e traze-lo. abraços

 
At 19:30, Blogger Leticia Gabian said...

Muitas.
Onde há vida (de qualquer espécie) há solidão, medo, maldade, perigo, luta pela sobrevivência, amor e suas particularidades.
Beijo.

 
At 21:51, Blogger Carmem L Vilanova said...

Muitissimo interessante este teu post... Gostei muito!
Beijos e muitos sorrisos para ti!

 
At 15:54, Blogger TF said...

Encontro muito poucas semelhanças entre a cidade e o campo ou, se quiserem, entre a grande cidade e a aldeia. A cidade é confusa, barulhenta, poluída, muito impessoal... A aldeia não é nada disto.
Bom fim de semana
Teresa

 
At 22:31, Blogger Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba said...

Meu amigo querido...

Preciso fazer uma brincadeira maldosa...

Tadinho do cachorro da fotografia!!! Colaram nele uma cara de um humano... Que desgraça!!! A isso podemos chamar de humilhação!!!

Como sempre muito querido; o modo como tratas de assuntos sérios!!!

Outra coisa é que abri o SILÊNCIO para comentários sem moderação e vi tua passagem por lá!!! E gostei que tenhas ido!!!

Beijinhos para ti e tua família!!!
Bom final de semana!!!

Cris

 
At 14:59, Blogger Francisca Silva said...

Este blog a meu ver, é sem dúvida um dos melhores doa Açores!
è um prazer para a vista e para a alma, visitá-lo.
Muitos parabéns, sr. Professor Félix!
Tal como a Azorina, eu, e o Ideias e Ideias, andamos com a ideia de nos juntarmos, convidando o senhor como figura principal, a fazermos um serão de poesia!
Que tal a ideia'
Fica lançado o desafio.
Aguardo resposta.
Um abraço.
Chicailheu

 
At 13:05, Blogger azoriana said...

Já li o jornal do sábado. Muito obrigada pela publicação das minhas quadras.
Bem haja

 

Enviar um comentário

<< Home