Comunidade Portuguesa de Ambientalistas
Ring Owner: Poli Etileno Site: Os Ambientalistas
Anterior Lista Aleatório Junte-se a nós! Próximo

2006-04-05

Smog não é rima para Fog


Vi-te chegar mas não me trouxeste flores,
Trouxeste-me vapor.
Meu Amor.
.
Enucleaste-me a visão,
Encalistaste-me o coração.
Deste-me vapor,
Com mau odor.
Meu Amor.
.

Escrevi-te um poema,
Expus-te um dilema.
Deste-me vapor,
Sem pudor.
Meu estupor!
Meu Amor.
.
Falei-te das poluições,
E das suas contra-indicações.
Deste-me vapor,
Sem pundonor,
Ou rubor,
A mim, teu pretensor.
Meu estupor!
Meu Amor.
.
Amor.
Não sejas o meu smog Londrino,
O meu veneno de Los Angeles,
Ou o meu ar de São Paulo.
.
Meu Amor.
Se me deres vapor,
Que seja apenas nevoeiro.
Não gastes dinheiro,
A arranjar outro cheiro.
.


Félix Rodrigues

Já ficaste alguma vez na dúvida se adoras ou odeias a natureza?

Nota- Este post é dedicado a Maria do Céu Costa e a Ana Pinheiro.

Links interessantes:

Há sempre um nevoeiro confuso em There only 1 alice

A Chuva e o nevoeiro de ontem em des-Encantos

126 Comments:

At 18:24, Blogger Nuno Guronsan said...

Bonitas palavras para acompanharem as minhas idas matinais para o trabalho, quando me confronto com as "ondas" de nevoeiro que provêm da Serra de Sintra, que me fazem imaginar uma entrada para outra dimensão...

Quanto à parte do smog, lembra-me o ano de 2000 quando andei a trabalhar/passear pela Ásia e vi, ao longe, as "ondas de fumo" sobre cidades como Seul ou Manila, que me deixavam ficar preocupado pela saúde "pulmonar" do nosso planeta...

 
At 19:29, Blogger Cristina Mendonça said...

Bonito poema, triste realidade.
Não aprecio nem o nevoeiro natural nem o artificial. Gosto da claridade, da luminosidade, da transparência. Mas se tiver de optar...opto pelo nosso nevoeiro, embora há quem diga que faz muito mal às articulações. Concluindo, ambos não fazem bem, mas mal por mal que seja um mal natural.

 
At 19:43, Anonymous caritas Souzza said...

Ola! Vim dar os parabéns por ter seu blog conquistado o grande prêmio The Best. Isso represnta os frutos de um trabalho bem direcionado. Sou Assistentye social aqui em meu País o Brasil. Gostei muito dos temas aqui desenvolvidos como interseterolialidade entre eixos sociais. Gostaria muito que vc recebese o selo ouro de Meus Rabiscos que se encontra em meus presntes pagina n 4. deixo um abraço em seu coração Português. E parabéns pela vitória merecida!

 
At 19:49, Blogger Fátima Silva said...

Adorei o post. Gostei deste poema ao amor, que atiça com "um volta e meia estupor".
Que amor tão contraditório este pelo ser humano... tão capaz de ser gentil, mas a sua insaciável aventura pelo domínio e exploração do que o rodeava... foi muito forte.
As palavras calmas não amassam corações demasiado doentes...

Os trocadilhos estão o máximo... que amor tão desigual!
Não posso comentar mais... outro dia voltarei.

 
At 19:51, Blogger Fátima Silva said...

Onde se lê rodeava é "rodeia" e o foi passa para "é". Escrevi isto tudo a correr.
Parabéns pelo prémio bem merecido.

 
At 20:02, Blogger frosado said...

Em que lugar ficaste? a infromação passou-me ao lado? Quero saber - votei em ti! :)

 
At 20:13, Blogger Ana Isabel Godinho said...

The best! Parabéns...foi bem merecido!
O nevoeiro é misterioso...simbolo de algo que está para vir, uma salvação que remonta aos nossos antepassados...ainda hoje existe quem espere D. Sebastião...a surgir no meio do nevoeiro!
Quem sabe se não será esse mesmo senhor, ou a sua quimera, a ilusão em que se continua a viver: a natureza regenera-se por si própria, podemos usar e abusar dela, pois ela tem uma capacidade infinita de se renovar...puro engano!!!!
Nem ela se regenera, nem a tecnologia resolve...há que ter o bom senso de evitar o "smog"..... para bem da humanidade!
Por onde tem andado que ninguém lhe "põe a vista em cima"? Voltou para Cuba? LOL, LOL....

Ana Isabel

 
At 20:28, Blogger Era uma vez um Girassol said...

Venceste o The Best Blog?
Parabéns!!!! Merecidissimo!

Por aqui também há nevoeiro...se há! E poluição que chegue...
Prefiro o primeiro ao segundo, como tu!
Mas acima de tudo ...quero sol!
Daqui a dias estarei em Macau, que também tem montes de "fog"....!
Raramente de vê o sol!
Bjs

 
At 20:41, Blogger Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba said...

Amo os nevoeiros, de PAIXÃO!!!

Tornam o que vemos, envolto em supremo véu de mistério!!!

Além disso, há o encanto do manto esbranquiçado e transparentemente calmo, tecido em micros gostas dágua...

Uma das cenas mais lindas que vivi relacionadas a nevoeiros e brumas, foi acompanhada do meu filho, enquanto navegávamos pelas águas calmas da Lagoa da Conceição, de volta para casa e em um restinho de tarde de primavera, quando o ar começa a esquentar, mas não o bastante para aquecer a superfície da lâmina d'água e em meio a paisagem farta, verde, azul, deslumbrante, vimos chegar um manso nevoeiro, em meio ao sol brilhante e o fosco cobertor úmido da mudança do tempo...

Não tenho e nem nunca tive a menor dúvida sequer, sobre a importância, o valor e a beleza da natureza para a minha vida em meus acontecimentos diários.

Lindo esse post querido Desambientado!!!

Beijinhos!!!
ò,ó

 
At 20:43, Blogger Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba said...

Olhe... Tu és um premiado...

Muitos parabéns!!!Merecidamente!!!
Com beijinhos!!! Todos!!!

ò,ó

 
At 20:43, Anonymous mpereira said...

Nunca fiquei em dúvida, não consigo odiar a natureza. Tem de ser amada e sobretudo respeitada.
É ela que manda: "Deus perdoa sempre, o Homem perdoa às vezes, mas a Natureza nunca perdoa"

 
At 20:52, Blogger azoriana said...

Muitos Parabéns pelo prémio The Best, da Gazeta do Blogueiro!
Fico muito satisfeita porque também contribui para esta bela vitória.
O Félix merece.
Até 6ª feira pois vou nas asas gigantes atravessar o nevoeiro.

 
At 21:32, Blogger Jardineira aprendiz said...

Já, em relação à natureza humana...

Mas só às vezes :)

Parabéns pelo prémio, merecidíssimo!

 
At 21:44, Blogger Micas said...

Bonito poema. Detesto o smog, tenho até fobia da poluição, fumos e cheiros estranhos deixam-me com um "nervoso miudinho" :)
Quanto ao nevoeiro, natural, adoro, é romantico, enigmático.
Beijos

 
At 22:27, Blogger deep said...

Para começar: Parabéns pelo prémio!
Continuando: é um "fazedor" de sentidos, alguém que brinca com as palavras de forma inusitada.
Em resposta à pergunta: globalmente, a Natureza é, para mim, algo de muito belo e de um valor inestimável.

 
At 22:41, Blogger Maria Costa said...

um lugar
a dizer da alegria da natureza
a começar a receber o pólen
no ar dos seus dias,
no ar dos seus posts
um desambientado
em ambiente natural
um ambientado pelo amor
à natureza



(este meu poema é a maneira que tenho e sei de lhe agradecer)

Obrigada!

Beijinhos.

 
At 23:03, Blogger MDeus said...

Parabéns pelo prémio, pelo que tenho observado neste novo mundo foi uma vitória merecida.
Não, nunca duvidei do meu sentir pela natureza, até porque ela nunca atraiçoou este amor... e o nevoeiro é um véu, um manto que nos cobre, que nos esconde... diz a Lenda de D. Genádio e seus Arcebispos, uma das lendas das Sete Cidades, que foi pela bruma destas ilhas que para cá veio, foram o seu esconderijo. Agora smog não, nevoeiro, bruma, gosto mas doseado, porque o sol faz-me muita falta.
Mais uma vez um excelente post, beijinhos e boa noite.

 
At 03:46, Blogger Ruth Iara said...

Tornaste belo este problema, mas não a ponto de nos cegar e sim de nos fazer refletir sobre esta realidade. O amor é uma palavra tão bonita e versátil que rima e cai bem até mesmo com fedor. Vai ser preciso mesmo muito amor para reverter determinadas situações. Já existem muitos pedidos de socorro espalhados pelo mundo todo.
Na hora dos desastres o ser humano não se distingue da natureza. É destrutível com essa.

 
At 04:22, Blogger Janelas da Alma said...

Olá amigo Félix,

Depois de uns dias de trabalhos forçados, volto de novo a visitar o que tens aqui feito de belo!...
Falarei contigo, em breve, em relação ao projecto Trilhas e Terras!
Para já, em relação à primeira foto deste teu tópico, serviu de capa de livro ao 'Tabú Príncipe dos Cágados de Fraldas ao Vento Ladra ás Portas do Futuro', também publicado com o nome de 'Tire a Mãe da Boca', da autoria de João Sousa Monteiro.

Em relação à Natureza, como é que se pode odiar uma Mãe que nos alimenta e nos dá de beber?...
Um abraço,

Nuno Osvaldo

 
At 05:28, Blogger vidal said...

Olá Portugal
Passei como um Beija-flor só para dizer que São Paulo me deixou decepcionada mas começo a compreender melhor o porquê de algumas reacções que temos pelo primeiro impacto. Curitiba é maravilhosa e Joinville encantadora os aromas são inconfundíveis e faz-nos lembrar o nosso pedacinho de terra no meio do oceano.O Sol está a queimar demasiado rápido e temos de ter muito cuidado.
Fiquem bem
Eva

 
At 09:24, Anonymous soslayo said...

Desambientado:

Do smog de São Paulo
conheço-o muito bem
é não ver um palmo em frente
à cara
e não faz bem a ninguém.

Aos olhos nem se falam
são conjuntivites sem tamanho
se não cuidarem do ambiente!
os pulmões também ficam estranhos.

Se o Planeta precisa de ordem
vamos todos se esforçar
cada um à sua maneira
para o nosso ambiente melhorar.

Um abraço Amigo Félix. Desculpa esta foi uma quadrazinha que saíu sem eu querer!

 
At 09:26, Anonymous Anónimo said...

pois é, depende, mas já pensaste que o amor está muito próximo do ódio? de repente, tudo se transforma...

beijos.

 
At 09:49, Blogger Desambientado said...

Nuno.

Por vezes é raro termos essa dupla visão: fog ou smog, porque ou estamos envoltos em nevoeiros ou estamos envoltos em smog.

Eu gosto muito de ver a chegada do nevoeiro, só que passado um dia ou dois a viver dentro dele, fico cansado. Mais cansativo e preocupante é viver constantemente numa pluma de poluentes.
Temos que pensar seriamente em alterar essa realidade. O processo não é facil, mas também não é impossível.
Obrigado pela visita.

 
At 09:54, Blogger Desambientado said...

Cristina Mendonça.

Um chazinho de nevoeiro deve fazer bem a alguma coisa, não é só às articulações. O Excesso de vapor de água certamente que nubliza o nariz e as vias respiratórias, pena é, que os núcleos de condensação de nuvens que não são sal marinho, não são bons para a saúde, daí que tenhamos assistido a um incremento no tempo da acidez do nevoeiro natural e a uma consequente transformação em "smog" quando as condições de luminosidade são apropriadas.

Antigamente, certamente, haveria algum tratamento que se poderia fazer com nevoeiro!? Se calhar também haveria algumas actividades ditas mágicas associadas a este fenómeno. Isso quase que daria um projecto de investigação...


Beijinhos.

 
At 09:56, Blogger Desambientado said...

Caritas.

Muito obrigado pela simpática visita a atribuição do seu selo pessoal. Como lhe disse no seu blog, terei imenso prazer em colá-lo aqui.

Apareça aqui sempre que lhe apetecer, farei os possíveis para a receber sempre bem.

 
At 10:00, Blogger Desambientado said...

Fátima Silva.

Diria que é um amor que de dia para dia se torna cada vez mais desigual. A Natureza começa-se a ajustar a determinados fenómenos físico-químicos que terão óbvias consequências negativas na vida do homem.
É altura de começarmos pelo menos a sentirmo-nos divididos, a sentir os dilemas que criamos, a tentar encontrar um pouco de equilíbrio.

A palavra estupor, de facto foi aí colocada, pelo seu duplo sentido: o estupor do corpo (paralesia) e o estupor (mulher feia e insuportável).

 
At 10:02, Blogger Desambientado said...

FRosada.


Cara amiga, aproveito a resposta que dou à tua pergunta para informar toda a gente que votou no Desambientado que ficou em segundo lugar na eleição. Está entre os cinco The best blogs deste mês.

Obrigado.
Beijinhos.

 
At 10:08, Blogger Desambientado said...

Ana Isabel Godinho

Tenho muito pouco a acrescentar ao teu comentário.
Não precisamos continuar à espera do D. Sebastião para salvar o País. Neste momento o Mundo precisaria que de um D. Sebastião saisse do nevoeiro e o salvasse, não é só Portugal.

A Europa provavelmente precisaria de um Lord Sebastian, a América de uma Sebastiana Clark e a Ásia de muito mais do que apenas um ídolo.

Quanto á pergunta, tenho andado por aqui como de costume: dar aulas, reuniões em baixo e em cima, à esquerda e á direita. sabes como é.

 
At 10:10, Blogger Desambientado said...

Era uma vez um Girassol.

Daí, lembro-me do nevoeiro que intensifica o cheiro da Ria. Também é mágico o nevoeiro de Aveiro.

Não conheço Macau. Também gostaria de conhecer.
Vai ser certamente uma viagem fabulosa.
É para breve?

Beijinhos.

 
At 10:13, Blogger Desambientado said...

Cristina Oliveira (Lâmina D'Água)

Não sei porquê, talvez porque já comece a conhecer-te, suspeitei que adorarias o nevoeiro. Claro que nevoeiro é água, mas noutro estado, do mesmo modo que gelo é água, mas noutras latitudes.
Para mim também o nevoeiro começa por ser mistério, uma semana depois é cansaço.
As brumas dos Açores são muito possessivas: instalam-se e parecem querer devorar-nos por completo a alma. Uma coisa sabemos, quando se vão embora deixam-nos a alma lavada.

Beijinhos.

 
At 10:14, Blogger Desambientado said...

Lâmina.

Obrigado pelos parabéns. Só agora reparei na mensagem que se seguia.

 
At 10:16, Blogger Desambientado said...

MPereira.

O problema da Natureza talvez não seja o nunca perdoar, mas sim o perdoar de mais, até atingir o limite. Talvez a Natureza se comporte como aqueles copos de água que se vão enchendo até que transbordam de repente com uma única gota.

 
At 10:17, Blogger Desambientado said...

Azoriana.

Muito obrigado pelo apoio constante.

Então vai de Férias? Até onde?

Boa Viagem.

Um Beijinho.

 
At 10:19, Blogger Desambientado said...

Jardineira Aprendiz.


Obrigado.

Com os humanos é muito normal a dicotomia de sentimentos.

 
At 10:21, Blogger sa.ra said...

Amo a Natureza e sei que ela me também ama!
Somos felizes! Somos assim desde que eu me lembro de mim e dela... memória longínqua...

Às vezes ela aborrece-me... porque quero sol e vejo chuva, porque dejejo rajadas de vento e o ar permanece imóvel!

Temos longas conversas, tantas, tão importantes, tão honestas!
Ela ouve-me sempre, tão doce, tão generosa, tão disponível!
Eu também a ouço... Sei coisas muito valiosas porque ela se abriu comigo, para mim!
Eu confio nela e ela confia em mim.

Mas, é verdade, também se aborrece comigo... e tem razãos para isso!

Mas amamo-nos muito! Muito e somos muito felizes juntas!
beijos,
um dia muito feliz

 
At 10:23, Blogger Desambientado said...

Micas.


Espero que esteja tudo bem contigo, que o tempo te tenha ajudado a fortalecer.

Eu também sinto algum romantismo no nevoeiro. Até a própria palavra soa bem.

Quanto à poluição (smog), pois essa, pode ser o futuro de todo e qualquer nevoeiro.

 
At 10:25, Blogger Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba said...

Seu Coelho...
Li somente agora a tua resposta ao meu pedido sobre enviares o projeto Trilhas para o Nuno. É sigiloso a partir do momento em que não está registrado e divulgado, mas ao Nuno não há problemas em divulgar e achei que talvez se ele tivese acesso, quem sabe poderia entender melhor o que estamos nos propondo no todo, mas não há problemas, pois meu PC chegará nesse final de semana e tenho lá o projeto pronto e já com a art final. Tão logo eu volte a ter acesso aos meus arquivos, enviarei a ele e te enviarei também, apenas a título de conhecimento, como a arte final dele é bonita.

A Vidal deixou recadinhos nos meus comentários dos dois posts das crianças. Se desejares, vá até lá para ler.

Beijinhos para tua quinta feira, querido!!!

 
At 10:26, Blogger Desambientado said...

Deep.


Muito obrigado pelo cumprimento e elogio.
É muito simpático da sua parte.
Quando valorizamos a natureza, nas mais simples coisas, ela preservar-se-á. Até parece que é para nos retribuir.

Beijinhos.

 
At 10:28, Blogger Desambientado said...

Maria do Céu.

Obrigado pelo poema, lindo, como o seu nome.

Não tem qualquer obrigação de retribuir seja o que for.

Um beijinho.

 
At 10:30, Blogger Desambientado said...

MDeus.

O seu é mais um dos comentários que nos lança para a fábula, para o mistério, para o romantismo associado ao nevoeiro, à bruma.

O Nevoeira era isso em todo o lado. Aqui ainda é bruma, com alguns pequenos sintomas de smog. os sintomas tem vindo a crescer. Quanto aqui, no meio do Atlântico, só tivermos smog, já nada restará no resto do mundo.Por isso, somos preveligiados.

 
At 10:32, Blogger Desambientado said...

Ruth.

Foi uma análise profunda e conhecedora aquela que fazes deste post. Obrigado.
Penso que ainda estamos a tempo de inverter este problema da poluição urbana intensa. Sou optimista.


Um beijinho.

 
At 10:36, Blogger Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba said...

Acabo de ler tua resposta ao meu comentário e queres saber???

Acho que adoro todas as manifestações da natureza e até as que me assuam de verdade, que são as grandes tempestades. Não me importo nem mesmo com os longos dias chuvosos. Aproveito sempre cada condição e situação do tempo e das estações. O que não gosto muito e aí está relacionado ao desconforto físico que sinto, é a mesmice de dias sempre iguais e esperados... Gosto das mudanças climáticas e das trocas de estações e de visual que elas proporcionam. Por exemplo, não me agrada muito viver em um lugar de calor intenso nos 365 dias do ano. As mudanças e imprevisibilidade, me encantam. Chuva por longos dias e derrepente sol aberto e céu azul... Tem mais lindo e emocionante do que esses destemperos da natureza??? Adoro sim as brumas e convivo muitíssimo bem com elas pelo tempo que elas desejarem e tal qual conivo com as temperaturas amenas, os frios intensos, o gelo e todas essas coisas que a maioria das pessoas não gostam muito. Não tenho problemas de adaptação ao meio, desde que esse meio, não seja excessivamente urbano e ou sendo, que me permita contato direto com a natureza. Eu vivo sem problemas no Rio de Janeiro, por causa do mar e não vivo jamais em São Paulo, mesmo tendo nascido lá.

Beijinhos querido Coelho!!!
ò,ó

 
At 10:36, Blogger Desambientado said...

Janelas da Alma (Nuno Osvaldo)

Muito obrigado mais uma vez pelo teu simpático comentário.
Não sabia que o quadro "Wanderer above the Sea" de Friedrich, tinha sido capa de um livro. Também não conheço esse livro, mas o título aponta para uma obra muito original.

Também tenho andado com pouco tempo, de qualquer forma entrarei em contacto contigo logo que possa.

 
At 10:37, Blogger Maria Costa said...

Não é uma retribuição, é um gesto...

Obrigada!

Beijinho e um dia feliz.

 
At 10:38, Blogger Desambientado said...

Vidal


Cara amiga, espero que estejas a desfrutar das maravilhosas paisagens do sul do Brasil. Eu estava ansioso por notícias tuas para saber como estava a correr tudo. Conta-nos o que puderes, sem qualquer tipo de obrigação.

Um beijinho desta tua ilha Terceira, espero que continue sempre sendo a Primeira no coração.

 
At 10:39, Blogger Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba said...

Corrigindo:

Acho que adoro todas as manifestações da natureza e até as que me assuam de verdade, que são as grandes tempestades.

ASSUSTAM de verdade...

Beijinho!!!
ò,ó

 
At 10:40, Blogger Desambientado said...

Amigo Soslayo.

Gosto sempre muito dos teus poemas.
Este está especialmente bonito e especialmente apropriado.

A Madeira não tem grandes nevoeiros como os Açores, mas nas zonas altas também lá aparecem, não sei é se é com muita frequencia.

Um abraço.

 
At 10:42, Blogger Desambientado said...

Anónimo.

Pois é, até parece que os sentimentos se comportam como o modelo atómico de Bohr, que se dão por saltos quânticos. Num instante saltamos do amor para o ódio, do ódio pra o rancor, do rancor para o desejo,etc,etc.

 
At 10:45, Blogger Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba said...

Não precisas responder a todas as coisas que te escrevo aquie aproveite para te dizer que o mais difícil para mim, é saber que estás aí respondendo aos comentários e eu fico aqui a aguardar por eles, doidinha para saber oq ue irás falar... Enquanto isso, o tempo passa, passa, passa...

Outro beijo!!!
ò,ó

 
At 11:05, Blogger Desambientado said...

Cristina Lâmina d´´Agua.

Só poderei responder daqui a três horas. Até lá tenho aulas.

 
At 11:12, Blogger Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba said...

Coelho...
Isso aqui não é afinal um chat e não tens de me responder a tudo e nem há necessidade. Além disso, percebo quando vais parar... E só comentei por ter achado engraçado ler cada comentário teu, provavelmente antes mesmo do dono dele!!! É um tanto fantasmagórica, essa coisa da virtualidade e da capacidade dala como ferramenta na comunicação. É sem dúvida uma poderosa arma e como tal, sujeita a andar em mãos de pessoas erradas, mas enfim...

Beijo de boa aula!!!

 
At 13:45, Anonymous Ofeliazinha said...

Vezes sem conta. Ela é caprichosa capaz de nos dar as mais maravilhosas coisas e de em segundos tira-las sem dó nem piedade.

 
At 13:48, Blogger Nilson Barcelli said...

Para além de inúmeros aspectos que te tornam ímpar na blogosfera (se visse um post teu, em qualquer lado e sem assinatura reconheceria o autor), há um pormenor ainda mais desconcertante: o facto de incluires ideais não usuais na poesia.
Este post é exemplo disso. Acho que nunca li poesia onde a temática do ambiente estivesse presente.
E tudo isto sem deixar cair um milímetro a qualidade dos textos. Antes pelo contrário.
Abraço.

 
At 14:47, Blogger Águas da Vida said...

Doaste a luz nos olhos dos cegos do saber, a realidade de um mundo esta nas atitudes de quem os constroem, no livre arbitrio de cada ser do planeta que errando acaba enxergando a tangente que os levam a evoluçao terrestre.
Big Kiss

 
At 16:17, Blogger Paulo J. Ribeiro said...

Nãi conseguiria imaginar um Dom Sebastião a regressar numa manhã cinzenta de poluição... É impensável. Dom Sebastião, a regressar, chegará numa bela manhã de nevoeiro carregada de mistério e de misticismo. O desgraçado, ou melhor, o Desejado, não teria os seus pulmões e as suas vias respiratórias preparadas para tamanha poluição. As reais goelas aguentariam, isso sim, a frescura do nevoeiro...

 
At 16:22, Blogger Desambientado said...

Sa.ra

Mais uma vez um comentário que poderia ser post.
Que bom que ha gente em plena fusão com a natureza e certamente com todas as atitudes pró-ambientais que se pode desejar.
Tens alguma atitude ou comportamento pessoal que entendas que seria bom que todos nós seguissemos?

 
At 16:27, Blogger Desambientado said...

Cristina Lâmina de àgua.

Já vi os recados da Vidal na tua Janela. Ela mandou-me um email dizendo que se alguém quiser ver em directo a abertura do Congresso Ibero-Americano de Educação Ambiental, a decorrer em Florianópolis, o poderá fazer em:

WWW.canal.ea.net

Já estive a dar umas espreitadelas, mas mesmo neste tempos modernos, não poderemos estar em todo o lado ao mesmo tempo.
Sei que escreveste várias coisas, vou tentar responder à medida que vou descendo, se não vou-me perder no meio das mensagem todas que tem aqui chegado.
Atè já.


Quanto a cópia do projecto, se quiseres me enviar de novo agradeço-te.

 
At 16:32, Blogger Desambientado said...

Cristina Lâmina D'Água

Entendo-te tão bem.
Gosto dos temporais de Inverno, do sossego do Verão, dos Nevoeiros da Primavera, da queda das folhas sujas no Outono e do Frio do Inverno. Não gosto é de ter muito do mesmo. O Verão Cansa-me muito mais do que o Inverno.
Quando estive em São Paulo, disse para mim mesmo, cá está um local onde teria dificuldade em viver, mas talvez isso se deva ao facto de ser mesmo provinciano.
Gosto de Lisboa, mas também não é um local onde gostaria de viver, preciso de mais espaço....

Não conheço o Rio de Janeiro, quem sabe se um dia lá passarei...

 
At 16:33, Blogger Isabel José António said...

Meu amor não me dês mais licor
Deste que envenena toda a Terra!
Dá-me antes um vislumbre de amor
Deste que o TUDO e o NADA encerra

Mais palavras, para quê? A tua criatividade é... (não conheço palavras que dignifiquem o que sinto com o coração)... deslumbrante

Um grande abraço.

José António

 
At 16:33, Blogger Desambientado said...

Maria do Céu.

Agradeço o teu gesto lindo...e que não seja nunca uma retribuição.

 
At 16:34, Blogger frosado said...

Félix, obrigada pela informação. Mereces bem o lugar. O teu blog, para mim, é de referência, mas e já agora, eu sou rosadoooooooooo e não rosada :(, desculpa, mas toda a gente me troca o nome!!!

 
At 16:35, Blogger Desambientado said...

Cristina Oliveira.

Não vale mesmo a pena andar a corrigir os erros que possam ter saído no texto. Leio sempre tudo, exactamente do modo que queriam que saísse, que tenho dificuldade em ver onde entram as correções.
Saíu erro, se eu não perceber, logo vos peço explicações.

 
At 17:17, Blogger Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba said...

Félix... O congreso não está aontecendo e Florianópolis e esim, em Joinville, uma cidade linda do vale do Itajaí, próspera e de excelente qualidade de vida e que fica distante de Florianó[polis cerca de uns 180KM, por uma ótima estrada. Vou marcar com ela hoje, como e quando poderei ir vê-la, pois dependerá dos horários e compromissos dela.

Tão logo eu saiba de algo, te avisarei.
Te mandarei também o projeto, assim que eu receber de volta o meu PC.
Beijinhos!!!
ò,ó

 
At 17:18, Blogger sa.ra said...

eheheheh!

oh meu querido amigo,
não tenho receitas...
faço coisas simples... vejo as nuvens passar... deixo passar o pensamentos em mim, os sentimentos, as ideias... como deixo passar as nuvens, sem prender, sem aprisionar....

vejo o rio e deixo passar as emoções em mim, como passa o caudal, sem aprisionar...

vejo passar a ave... e percebo que não se pode prender-lhe o rasto voo... como não podem ser presos os sonhos em mim...

vejo o sol brilhar e percebo que isso é uma lição de amor, de justiça, de luz que põe às claras, que esclarece... e que a minha luz, o meu calor, o meu amor são da minha responsabilidade, são energias auto-geradas e que devem ser dadas de borla, indiferenciadamante, sem expectativas...

vejo a árvore, a semente... e nenhuma se nega a fazer a sua parte, mesmo sabendo que sózinha não ter oxigénio para todo o mundo, pólen para todas as abelhas, ramos para todos os ninhos, braços para todas as crianças...

vejo que não pensas como o homem comum "sózinho não posso mudar nada"...

a árvore mostrou-me q não deixa de fazer a sua parte nunca... continua a gerar, a produzir, a dar...

por isso, quando me perco, pergunto:
o que faria o sol nestas circunstâncias...
o que faria a árvore, o que faria o rio...

olha... é isto... assim...
até estou desconcertada...

beijinhos!

 
At 17:19, Blogger Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba said...

Eu estou pasma com a quantidade de erros terríveis e gritannnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnntes que venho cmetendo no teclado....
o fato é que ele não me pertence; come letras e eu não faço a revisão...

Que feinho...

~<];o(

 
At 18:58, Anonymous Alexandra said...

Post magnífico como sp :)

Estabeleci das palavras escritas a relação amor/ódio que td o ser humano em determinadas situações. Aqui está estabelecida a relação de amor pelo planeta/terra/vida/ e a de ódio pelo que está a contecer com esse mm planeta/terra/vida!

Nenhuma das minhas palavtras é critica ou prejurativa. Este tipo de relação é uma realidade, só que aqui tranpostada pr outro objecto.

Parabéns!

 
At 19:40, Blogger Maria Costa said...

Desambientado, para os filmes correram só tem de fazer o download do real player no seu computador.

Bom final de dia.

Beijinhos.

 
At 19:42, Blogger FSilva said...

Venho deixar uma abraço de parabéns pela óptima classificação, 2ºLugar é medalha de prata.

Quanto aos nevoeiros é assim, depende da situação, por exemplo atravessar a transversal com nevoeiro, vento e chuva é dose...agora, quando são os nevoeiros de Primavera, do mês de Maio, esses são esplendorosos, envolvem as nossas ilhas numa bruma mágica.

Os nevoeiros resultado da poluição devem ser combatidos e isso eu faço, dentro das minhas possibilidades, com grande veemência, condenando e alertando os nossos jovens para essa problemática.

 
At 19:59, Blogger Cristina Mendonça said...

Tratamentos em dias de nevoeiro?! Como aqueles rituais que ocorrem em noites de lua cheia? Mistério... bem, se calhar, o nevoeiro até poderá contribuir para a estética das suas gentes, pois o vapor de água faz dilatar os poros, purificando a pele?! Em seguida, poder-se-á aplicar uma água de pétalas de rosas e já está:lindoas/os e cheirosinhas/os!lol
Parabéns pelo prémio!

 
At 20:15, Anonymous soslayo said...

Desambientado:

Quando falo do smog de São Paulo é, porque o conheço muito bem! Já lá estive várias vezes e, quando se vai na Via Dutra ou na Avenida Brasil e ao entrar em S. Paulo indo do Rio de Janeiro de carro, avista-se ao fundo aquela nuvem preta mas não é de nevoeiro mas sim de poluíção negra sobre a cidade.
Quanto às nuvens na Madeira, durante o inverno, baixam um pouco, mas geralmente só acontecem acima dos mil metros de altitude. Um abraço e obrigado pelas tuas palavras.

 
At 21:33, Blogger Desambientado said...

Ofeliazinha.

Olhe que a natureza não nos tira tudo assim de repente, ela espera, e espera, e torna a esperar e de repente recupera aquilo que ela julga ser seu.

 
At 21:35, Blogger Desambientado said...

Nilson.


Este teu comentário é sem dúvida muito elogioso. Agradeço-te imenso essa consideração. Mas olha que há, por exemplo as deliciosas poesias de Cecilia Meireles.

Um abraço.

 
At 21:37, Blogger Desambientado said...

Águas da Vida.

Pois exactamente do teu nome, águas da vida, de que estamos falando. Do vapor de água, da mistura mortal entre essa água e essa gás que produzimos (cada um de nós), no rodopio de viver nesta sociedade global.

Temos que alterar algumas coisas, para termos a possinilidade de evoluir.

Um beijinho.

 
At 21:39, Blogger Desambientado said...

Paulo Ribeiro.

Não só as goelas do Dom Sebastião não aguentariam a poluição, como também a sua armadura não estaria preparada para suportar a corrosão do nevoeiro àcido. De certo que depois de sair do nevoeiro, o desafortunado Dom Sebastião ainda fumegaria.

 
At 21:45, Blogger Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba said...

Esqueci de te dizer...

São paulo é cosmopolita. Tem tudo que NY tem, sem o incoveniente da pouca visão dos donos da terra de lá... Tem todos os melhores restaurantes, casas de espetáculos fantásticas e tudo que acontece no mundo todo, de melhor qualidade. Mas tem também um preço alto a ser pago por isso. É uma cidade imensa, mas funciona e eu tenho de reconhecer. Tem problemas sérios também, mas nem poderia ser de outro modo. No entanto, é feia demais. Mesmo nos lugares tidos como os mais luxuosos e requintados. Tudo para mim, lá é feio, pois só tem mesmo de verde, o parque do Ibirapuera que por sinal, é muito bonito, mas sem poder ver verde, de verdade, não dá, né??? Mas em São paulo acontecem muitas coisas únicas, as melhores e maiores feiras da América Latina e por aí vai. É até uma cidade para se ir, bem rapidinho. A gente chega, fica em um lugar próximo dos melhores acontecimentos; toma um banho de cinema, espetáculos, livrarias, shows musicais e esas coisas e no máximo no quarto dia, corre para o RIO...

Eu sou a paulista que mais ama o Rio de Janeiro e se tiver de viver em uma dessas grandes metrópolis brasileiras, certamente que terá de ser o Rio, por ser a cidade grande mais linda desse país e a bruma de lá, é verdadeira...

Até a bruma de São Paulo é ruim...
Beijinhos

 
At 21:49, Blogger Desambientado said...

José António.

Mais uma vez muito obrigado pelos bonitos versos e pela enorme consideração.

Gostei do Tudo e do Nada, do último verso.

Um dos grandes problemas da sociedade actual prende-se exactamente com isso:
O homem pensa que pode mexer em TUDO que NADA se alterará.
AS leis da Física dizem-nos o contrário, que mesmo que o homem não faça NADA, TUDO se alterará.

Um abraço.

 
At 21:52, Blogger Desambientado said...

Fátima ROSADO (Frosado)

Muito obrigado pela opinião simpática que tens deste espaço que ajudaste a construir.

Peço desculpa se saíu Rosada em vez de Rosado. Foi erro ortográfico e não de confusão.
Não conheço ninguém de apelido Rosada, e nunca me passaria pela cabeça que fosses a primeira.

Comigo trocam constantemente o Félix, até em documentos. A Pior troca que já tive foi numa pauta da universidade: Xilef.

 
At 21:55, Blogger Desambientado said...

Cristina Oliveira.

Hoje deu-me para trocar tudo. Chamei Rosada à Fátima, faço acontecer o Simpósio de Educação Ambiental na tua cidade!? quando é em Joinville. Eu sabia que era em Joinville e que não fica perto, mas não sei porque me saíu Florianópolis.

 
At 21:58, Blogger Desambientado said...

Sa.ra

No fundo o teu conselho é contemplação, no fundo olhar para a árvore e ver uma irmã, olhar para o Sol e ver um irmão...tal qual como São Francisco.
(Agora só um aparte para o Paulo Ribeiro-Não me estou a meter contigo).

Olhar e ver será esse o conselho?

 
At 21:59, Blogger Desambientado said...

Cristina Oliveira

Os erros pelo meu lado ambém são muitos, não te preocupes.

 
At 22:03, Blogger Desambientado said...

Alexandra

Você interpretou muito bem o poema, ou melhor dizendo, o projecto de poema. Pensei exactamente colocar na Natureza essa dicotomia do amor ódio humano, na Natureza, e paradoxalmente, que a revolta aparecesse do lado do homem, daquele que é o causador da própria desgraça, mas que pensa que lhe é trazida pela sua amante, que pensa que é ela que não o quer amar quando se dá "mentalmente mas não fisicamente" de braços abertos.

Haveria tanto para interpretar nessa relação e nesse feitiço.

Um beijinho.

 
At 22:05, Blogger Desambientado said...

Maria do Céu

É capaz de ser isso. Este computador onde estou a escrever é limitadissimo.

Obrigado.

 
At 22:09, Blogger Desambientado said...

Fernanda Silva (FSilva)

Obrigado pelo cumprimento e alusão à Prata. É nobre na mesma.


Concordo consigo quanto aos nevoeiros e às circunstâncias em que ocorrem.
Atravessar o Canal de Inverno com nevoeiro, deve ser angustiante. Subir à Montanha do Pico com Nevoeiro é angustiante, descâ-la com nevoeiro é frustante.


Quanto ao smog, todos os educadores terão que contribuir para se alterar a mentalidade da geração actual e das gerações futuras.

Um bem haja pelo esforço.

 
At 22:11, Blogger Desambientado said...

Cristina Mendonça.

E quem não diz, que algumas dentaduras que temos aqui pela ilha, meias acastanhadas não resultam de se andar por aí de boca aberta a apanhar nevoeiro?

E quem não me diz que é numa dessas noites de nevoeiros que o Ti Terrinho as suas mezinhas e preparava os seus cobrantes?

 
At 22:14, Blogger Desambientado said...

Soslayo

Eu vi a bolha de poluição de São Paulo quando me aproximava de avião. Apesar de tudo, deve ser lindissimo fazer a viagem Rio São Paulo de automovel...
Você viveu lá ou esteve de férias?

Quanto à Madeira, pois mil metros é um maravilha, aqui o nevoeiro começa muitas vezes, desde o nível do mar.

 
At 22:19, Blogger Desambientado said...

Cristina Oliveira.

Eu não cheguei a conhecer verdadeiramente São Paulo, mas o pouco tempo que lá estive, (dois dias) senti-me sufocar, não tanto pela poluição, mas pela imensidade da cidade. Nunca tinha visto nada tão extenso. Por alguma razão é a segunda maior cidade do Mundo. Não conheço a primeira, mas cheguei à conclusão que deve ser bem Pior do que São Paulo, por isso não tenho vontade nenhuma de conhecer a Cidade do México.
As grandes Metrópoles tem essas vantagens, de ter concentrado o que há de melhor, mas também o que há de pior. Parece ser obrigatório que haja sempre as duas faces da moeda.

Beijinhos.

 
At 22:22, Blogger TF said...

Consegui chegar apesar do nevoeiro. Gosto dele quando já se está a dissipar e quando os raios de sol o conseguem rasgar.
As nuvens de poluição que de vez em quando também temos em Lisboa são feias. Às vezes quase parecem adivinhar que uma tragédia se aproxima.
Da natureza tenho medo das catástrofes naturais em especial dos tremores de Terra. Não é uma questão de ódio...
Parabéns por mais um prémio.

 
At 23:12, Blogger O Homem do Porto said...

Caro Felix
Vejo que estás cheio de admiradores. Talvez queiram fazer um cursinho nos Açores.
Tomaz

 
At 01:00, Blogger Hanah said...

Belas palavras e olhares como os do pintor Friederich....

 
At 07:00, Blogger Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba said...

Boa sexta!!!
Um lindo final de semana!!!
Beijinhos...
ò,ó

 
At 10:17, Anonymous soslayo said...

Desambientado estive por três vezes de férias e por gostar muito daquele país vivi no Rio de Janeiro durante 3 anos e meio. O trajecto Rio - São Paulo é lindíssimo. Um abraço

 
At 10:46, Blogger Desambientado said...

Teresa.

Já li o teu email e vou responder-te brevemente.

Quanto ao teu comentário, para mim também todos os fenómenos naturais intensos me produzem medo, é normal.
Por vezes têm-se a noção errada de que tecnologicamente podemos tratar de tudo. Ensinaram-nos isso, e podemos constactar na actualidade que é uma grande mentira.
Temos que ser sinceros uns com os outros e temos que ser honestos nos sentimentos.

Um beijinho.

 
At 10:47, Blogger Desambientado said...

Olá Tomaz.

Creio que a maioria dos meus comentadores já tem curso, e não estarão certamente interessados em vir tirar Engenharia do Ambiente ou Gestão e Conservação da Natureza à Universidade dos Açores. De repente, se houver alguém interessado, saberemos receber bem. Não é assim Tomaz?

 
At 10:48, Blogger Desambientado said...

Hanah.

Obrigado pelo simpático comentário.

 
At 10:49, Blogger Desambientado said...

Cristina Oliveira


Um bom fim de semana para ti também.

 
At 10:50, Blogger Desambientado said...

Soslayo.

Há gente sortuda que consegu escolher locais quase idílicos para viver.

Bom fim de semana.

 
At 11:37, Blogger sa.ra said...

bom dia querido Félix,

ui, as tuas perguntas são tão simples e, ao mesmo tempo, tão dífíceis, tal como as respostas.

Vou tentar pô-lo num post...
para já fica isto:
Amar a Terra, o Sol, a Árvore, a Natureza ou o Universo é amar-se a si próprio.

A contemplação permite verificar/percepcionar/sentir a semelhança.

A meditação permite estabalecer a ligação - estabelecer uniões tão íntimas como a concepção de um ser... e a partir daí conceber/engendar novas visões, ideias, percepções, sonhos, projectos... (é como fazer um filho, sendo que essa criança somos nós próprios)

Depois é transformar isso em coisas...
Assim, não basta comtemplar a Paz que se sente na fusão com a Natureza, por exemplo.
É preciso SENTIR paz
É preciso PENSAR paz
FALAR paz
DAR paz
AGIR paz

(ando à procura de um texto que escrevi há uns anos sobre o Sol, que acho, explica isto...)

Digamos que adorar/amar a Terra, o sol a Vida não é um exercício passivo/contemplativo, apenas.

Há que ser Terra, ser Sol, ser Vida.
Os povos que adoravam o sol, por exemplo, reconheceram o imenso manancial de energia que o Sol proporciona e oferece... mas também muito mais do que isso...

Mas não basta reconhecê-lo, comtemplá-lo ou prestar-lhe uma homenagem passiva... A maior homenagem é, julgo, aderir às suas qualidades/faculdades... integrá-las.

Há que SER SOL!
ser como ele, agir como ele, dar como ele.
Há que cultivar as qualidades do sol em si próprio, sendo assim, uma fonta de luz (clareza, verdade), calor (amor, transformação...), de equilíbrio (estar sobre o seu próprio eixo e não perturbar a rota dos outros), de magnetismo (unir, manter junto, estabilizar, no entanto sem julgar, sem dominar)... etc.

ser Sol, neste caso, é como proporcionar luz, calor, energia e com isso gerar Vida.

é por isto que entendo que o Amor não é um sentimento, mas uma energia auto-gerada (tal como a luz solar) aom a qual e através da qual podemos, cada um indiviualmente, contribuir para fotossínteses... nossas e dos que nos rodeiam!

que te parece?
beijocas e um dia muito feliz!

 
At 12:32, Blogger Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba said...

Desembientado...

A estória da oná é verdadeira e eu
deixei lá para ti, quase uma monografia, uma defesa de tese...

Se puderes vá lá para ler, pois acho que estás um tanto desavisado, como a maioria das pessoas...

Beijinhos querido Coelho!!!

 
At 12:34, Blogger Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba said...

A ESTÓRIA DA ONÇA É VERDADEIRA!!!

Mais qe dificuldade em escrever com esse teclado!!!
ò,ó

 
At 13:47, Anonymous Ofeliazinha said...

Se calhar se era para tirar não devia esperar tanto e tirar logo de uma vez. Mas ela lá sabe o que faz. Desejo um bom fim de semana. E se der dê um saltinho até ao Teatro Angrense no Domingo à noite para ver a minha peça "Fim de Partida" de Samuel Beckett :) Abraço.

 
At 14:15, Blogger frosado said...

Hoje, como é um dia dedicado à saúde e à luta anti-tabágica, digo-te que SMOG não rima com: visão, pulmão, coração, saúde, artérias, respiração e sei lá que mais...

 
At 15:15, Blogger aprendiz de viajante said...

Desambientado

Passei aqui para ler a tua resposta ao meu comentário, como é habitual, mas fiquei surpresa por que nem encontrei resposta, nem o próprio comentário... não sei o que se passou?!...

De qualquer forma, volto a deixar aqui os meus parabéns pela distinção bem merecida e por mais este excelente post.

Eu adoro a Natureza e nunca questiono isso... Se todos a amassem verdadeiramente, ela seria ainda mais bonita!!!

 
At 15:24, Blogger Caiê said...

Sim, já. A neve: duvido sempre se a amo ou se a odeio. Na verdade, sinto ambas as coisas ao mesmo tempo por essa estranha fada.

 
At 15:27, Blogger aprendiz de viajante said...

...quanto ao nevoeiro,aquele que a Natureza nos oferece em dias de bruma, está-me na alma!!!

 
At 20:45, Anonymous Caritas Souzza said...

Olá amigo! Passando em seu lindo blog pra te desejar um FDS maravilhoso! Com um mundo de realizaçoes boas nestes 2 dias! Um grande abraço de Vitória!

 
At 23:33, Blogger azoriana said...

Olá, estou de volta!
Cheguei hoje de São Miguel.
Na despedida: Era um verde imenso estendido até onde o meu olhar podia alcançar...
Depois era o branco... o algodão fantasia que formava monstros e deuses, fadas e sonhos num azul resplandecente.
Ar, terra e mar unem-se numa beleza que emoldurei na minha memória... É bom ser açoriana!

 
At 02:20, Anonymous Rosa Maria said...

Olá amigo
Há muitos anos atrás,
um homem veio ao mundo
disposto a ser o maior exemplo,
de Amor e Verdade
que a humanidade conheceria...


Mas sua proposta de vida,
não foi entendida por muitos...
Condenaram este homem e crucificaram-no,
ignorando todos os seus propósitos
de um Mundo Melhor...

Houve muita dor, angústia e escuridão...
Por três dias o sol recusou-se a brilhar,
a lua negou-se a iluminar a Terra,
até que ao terceiro dia de vida aconteceu...

A Páscoa existe,
para nos lembrar deste espetáculo inigualável
chamado Ressurreição...

Ressurreição do Sorriso,
da Alegria de Viver,
do Amor,
da Amizade
e da vontade de Ser Feliz...

Páscoa é a Ressurreição dos Sonhos,
das Lembranças
e principalmente de uma verdade,
que está acima dos ovinhos de chocolate,
ou até dos coelhinhos:

Cristo morreu...
Mas ressuscitou
e fez isso somente para nos ensinar
a matar os nossos piores defeitos
e ressuscitar as maiores virtudes sepultadas
no íntimo de nossos corações!!!

Feliz Páscoa!!
Tenha um otimo final de semana

 
At 08:43, Blogger Desambientado said...

Sa.ra

Penso que queres dizer "ter uma fusão plena com a natureza", um pouco à semelhança da ideia que discutia no último post.
Perceber para amar,
Amar para sentir,
Sentir para construir um mundo melhor. Será?

Bm Fim de semana.

 
At 08:44, Blogger Desambientado said...

Lâmina

Já lá passei e fiz outra tese.

A história da Onça é digna de empolamento, é única e tão bela...


Muitos beijinhos.

 
At 08:47, Blogger Desambientado said...

Ofeliazinha

Espero que corra tudo bem na estreia da peça de teatro. Vai correr certamente. Espero também que estejam todos já recuperados.

Boa Sorte na estreia.

Bom Fim de Semana

 
At 08:49, Blogger Desambientado said...

Frosado

Sem dúvida.
Hoje é para mim, o primeiro dia mundial sem tabaco, que passo nos últimos 17 anos, mesmo sem tabaco. Conto os meus menos de não fumador pelos meses que levo de blogador, ou blogadeiro, ou blogueiro.

 
At 08:53, Blogger Desambientado said...

Wicca

Aconteceu-me o mesmo anteontem no blog do Nuno Osvaldo, deixei lá um comentário e quando lá voltei não tinha nada. Já não é a primeira vez que me acontece. É certamente qualquer problema do sistema.
Pode crer que não fui eu que o apaguei. Apaguei efectivamente um que era uma tese enorme sobre um tema que não dizia respeito a este assunto. Era spam nítido, então esse apaguei.

Quanto à natureza, vê-se pelo teu blog a tua afeição.

Bom fim de semana.

 
At 08:58, Blogger Desambientado said...

Caritas Souzza

Agradeço e retribuo os votos de Bom Final de Semana.
Gosto de a ver por aqui.
Gostaria que soubesse que já estive várias vezes no seu blog, mas não consigo deixar mensagem no sistema haloscan.

Um beijinho.

 
At 08:59, Blogger Desambientado said...

Azoriana

Bom regresso à Terceira de nome Primeira do coração, ou rendeu-se ao encatamentos da ilha do Arcanjo?

 
At 09:02, Blogger Desambientado said...

Rosa Maria.

É uma forma simpática esta sua de desejar os votos de Boa Páscoa. Agradeço e retribuo.

Já passeei várias vezes no seu blog, mas o sistema não me permite deixar mensagem para parabenizá-la pela eleição.
É um blog muito simpático.
Um beijinho desde o Meio do Atlântico.

 
At 09:04, Blogger Desambientado said...

Caiê.

Passei por cima do seu comentário. Sabe é pelo facto do nick name ser pequeno que por vezes perco-me e lhe respondo fora de ordem.

A mim, de vez em quando dá-me uma neura com a chuva. Quando são dias e dias consecutivos de chuva, tenho que começar a concentrar-me em pequenas coisas bonitas para suportar o massacre da chuva.

Bom fim de semana.

 
At 09:45, Blogger Jorge Moreira said...

Nunca coloquei dúvidas, pois o Amor pela Natureza, está bem dentro de mim!

Mais um post profundo...
A Terra com o seu Amor cria o Homem e este por sua vez, faz sofrer e destroí a Terra...
Das flores às sucatas!
Das águas cristalinas às fossas!
Do Ar puro às chuvas ácidas...

Grande Abraço e bom fim de semana Amigo

 
At 12:06, Blogger Desambientado said...

Jorge Moreira.

Obrigado pelo comentário, de facto o post pretende alertar para a necssidade de inverter o caminho do ar puro às cguvas ácidas.

Que bem que acentuaste os problemas ambientais actuais com:
-Das flores à sucata,
-Das águas cristalinas às fossas sépticas,
-Do ar puro às chuvas ácidas.
Brilhante síntese.

Um abraço e bom fim de semana.

 
At 15:30, Blogger azoriana said...

Caro Félix

Claro que a Terceira é a "Primeira do coração" mas qualquer uma das outras 8 ilhas tem encantos que me seduzem.
Só me falta conhecer Santa Maria, Flores e Corvo para completar o encanto.
Bom fim de semana com um sorriso!

 
At 16:24, Blogger Ana Pinheiro said...

Se já fiquei na dúvida se adoro ou odeio a Natureza?...Não...Não sinto ódio por nada nem por ninguém...Não sou de meios termos...Ou amo ou não amo...Agora sinto um grande respeito pela natureza...respeito que já foi medo...Pelo Homem...Homem e não homem, apesar de respeitar...tenho as minhas reticências relativamente ao ser humano...à sua Natureza...Mas apesar das minhas reticências...Não conseguira viver sem ser em comunidade...Sim, o ser humano faz parte da Natureza...
A Natureza faz-me sentir viva...inspira-me...alimenta-me...faz-me vibrar...faz-me sorrir...faz-me chorar...Faz-me tremer...Faço parte dela...
Félix, senti-me lisongeada por este post também ser dedicado a mim....Obrigada...
Um beijo com ternura.

 
At 18:52, Blogger Desambientado said...

Azoriana.

Pois a mim só me faltam conhecer duas: Flores e Corvo. Todas as outras são de facto verdadeiros encantos.

Bom fim de semana

 
At 18:54, Blogger Desambientado said...

Ana Pinheiro.

Muito obrigado pelo teu comentário sensível e honesto.
Foi um prazer dedicar-te este post, conjuntamente com a Maria do Céu. Parecem-me ser duas mulheres muito sensíveis.

Um beijinho.

 
At 01:09, Blogger azoriana said...

Ah! Hoje o meu blog está em festa de aniversário. 2 anos é muito tempo não é?!

 
At 10:55, Blogger Desambientado said...

Azoriana

Muitos parabéns pela data comemorativa do teu blog.

Beijinhos.

 
At 14:23, Blogger Cruzeiro said...

Não sou de ter ódios por nada, embora já tenha sentido raiva de algo, mas é um sentimento momentaneo,passa rapidamente...:)

 
At 20:51, Blogger Desambientado said...

Cruzeiro.

Esses sentimentos momentâneos só revelam humanidade.

Boa Páscoa.

 

Enviar um comentário

<< Home