Comunidade Portuguesa de Ambientalistas
Ring Owner: Poli Etileno Site: Os Ambientalistas
Anterior Lista Aleatório Junte-se a nós! Próximo

2006-03-09

Oh Ladrão! Ladrão.



Era meia-noite
Quando o ladrão veio
Deixou labaredas
Na mata do meio.
.

O pai do ladrão
Era carpinteiro,
Fazia cozinhas,
Ganhava dinheiro.
.

Pela meia-noite
Sem estrelas no céu,
Roubaram-lhe o rosto,
Taparam-no c’um véu.
.
O pai do ladrão
Era pregador,
Fazia sermões,
Pregava o amor.
.
Pela meia-noite
E sem advertência,
Entrou o ladrão.
Levou-lhe a inocência.
.
O pai do ladrão,
Se tiver vergonha,
Verá que o estupro,
É "coisa medonha".
.


Era meia-noite.
Hora atrevida.
Entrou um ladrão
E roubou-lhe a vida.
.
O pai do ladrão
Acha que é assim,
Que vale tirar tudo,
Mesmo até ao fim.
.
Oh Ladrão!
- Ladrão.
Oh Ladrão!
-Maldito.

-Tu falas e negas, tudo o que tens dito.
.
Félix Rodrigues
.
Que outros tipos de roubo você considera que existem?
.
Nota- Estas quadras inspiraram-se numa cantiga tradicional Terceirense de nome "Oh Ladrão, ladrão" e num dos posts de Paulo Jorge Ribeiro.
Não consegui identificar os autores de algumas das imagens deste post.

113 Comments:

At 17:14, Anonymous nelson said...

Um grande roubo que existe e que nao espera pela meia noite para acontecer, é o que fazem os países economicamente mais fortes aos ditos "em vias de desenvolvimento", e depois ainda se congratulam por "ajudar"

Abraço

 
At 17:31, Blogger Desambientado said...

Olá Nelson.
Tudo bem contigo?
O trabalho está a correr bem?
Quanto ao roubo, és capaz de me dar um exemplo?

Um abraço.

 
At 17:56, Blogger Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba said...

Está bem claro em tua lindamente exposta poesia...

A morte causada por ato de violência é uma dor infindável, para quem fica. Já o estupro, causa uma dor tão violenta quanto, para quem vive a violência. E o mais forte e impiedoso é o abuso sexual contra crianças. Esse é silencioso, anda calado e não apresenta sinais de violência escancarada. É uma terrível e macabra forma de sedução velada, fatasiada de carícia, de afeto e amor, onde o malfeitor normalmente aparece em forma de amigo, parente e ou outra pessoa querida, que acaba por gerar confusões irreparáveis em quem tristemente sofre tais atitudes e que certamente sentirá o gosto dessa dor para toda a vida. Esse é para mim, sem dúvida o pior de todos os roubos.

É o roubo da confiança e credulidade infantil.

Triste é esse teu post, mas a tritesa também tem seu lado estético, nem que seja para informar. Já preparei o meu pot para amanhã e também não é alegre.

Beijinhos Desambientado!!!
ò,ó

 
At 18:00, Blogger a lice said...

Excelente selecção de imagens!:)

 
At 18:02, Blogger Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba said...

E em tempo:

Adorei teu selinho novo, com carinha de bandido!!! Tá engraçado, pois não tem nada a ver contigo e exatamente por essa razão é que ficou bom!!!

Outro beijo!!!
ò,ó

 
At 18:31, Blogger DelEnd said...

o roubo que estamos a realizar dia após dia, à luz do tão falado conceito de desenvolvimento sustentável, às gerações futuras!

 
At 18:47, Blogger Fátima Silva said...

Assombroso. Conheço perfeitamente a canção e a sua recriação ficou linda.
Existem tantos roubos: o da credibilidade, confiança, saniedade mental, liberdade, alegria, serenidade... até às vezes vêm-nos roubar mesmo debaixo do nosso nariz!
Belo post, adorei!
Tantos são os que dizem... penso que somos todos um pouco ladrões,num ou outro aspecto na relação com os outros e com a natureza.

 
At 18:49, Blogger maat said...

Quando numa cidade se anulam espaços verdes e se " plantam " aglomerados de cimento,o homem rouba, num só golpe, Oxigénio,ar,cor, harmonia, espaços de convívio,pássaros, água ou fontes,alegria...as crianças passam a brincar em gaiolas de ensino...outras dormem nas ruas e imitam noutra escala os mesmos roubos,os mais velhos não têm parques, uma cadeia infindável de desvios...
Basta lembrar o mundo de George Orwell...e aí se encena o deplorável retrato do Homem do "Olho tecnológico" vigiado e previsto pelos centros de poder.
Quem rouba à Natureza o seu equilíbrio rouba-se a si próprio, sem o saber.Ela está fundada nos alicerces do Amor e do Rigor.

Mais tarde ou mais cedo virá a resposta.




beijinho,

***maat

 
At 19:46, Blogger Paulo J. Ribeiro said...

Para começar gostaria de agradecer a referência ao meu blog e dizer que fico muito contente por poder, de alguma forma, contribuir para que, a partir dele, possam ser esctritos textos como este.
Existem muitos tipos de roubo e aqueles que habitualmente tememos prendem-se com os NOSSOS bens materiais, NOSSOS. No entanto, roubar é muito mais do que isso. É roubar o pensamento, a fé, a alma, a alegria e a paz. E o mais grave é que, nesses casos, nunca identificamos o ladrão. O ladrão leva uma parte de nós e nunca mais a recuperamos... Foi também a esperança que foi roubada.

 
At 20:18, Blogger Desambientado said...

Olá Cristina Oliveira(Lâmina d'Água).

Vocês mimam-me tanto, que um dia, quando não puderem cá vir, vou pensar que lhes aconteceu algo de grave.

Para mim, e eu não vou discordar nada do que disseste, qualquer roubo intencional é um acto de violência.
Há roubos "não intencionais" de sobrevivência, que poderiam ter sido, transformados em pedidos de apoio à sobrevivência, e resultam das pessoas pensarem que roubar é mais digno do que pedir. Enganam-se na maioria das vezes. Não classifico esses roubos de violência. Todos outros são, violentamente insuportáveis. Todos nós acabamos por ter uma hierarquia do que é mais valorizado, hierarquia essa que se aproximará da objectividade se a discutirmos. Não sei se estás de acordo?
Todos os crimes que revelam cobardia ilimitada, são hodiondos. No topo dessa tabela colocaria a pedofilia e o ataque a idosos.
O sistema penal tenta fazer o mesmo....
Quanto a ser um post triste, é verdade, mas tem a intenção de ajudar a lutar para que nunca mais ocorra este tipo de tristeza, logo, é um post a favor da felicidade.

Beijinhos.

 
At 20:30, Blogger Desambientado said...

A lice.

Cara conterrânea, obrigado pela visita e comentário.

 
At 20:34, Blogger Desambientado said...

Delend.

Ainda bem que há gente que se preocupa em deixar algo para as gerações futuras, mas não são certamente os políticos. O Conceito de desenvolvimento sustentável entrou na agenda política com conotações que nada tem a ver com o que ele efectivamente é.
Eu vejo o Desenvolvimento sustentável mais como um "Envolvimento sustentavel" onde se pretende garantir equilíbrios entre a esfera social, económica e ambiental.

 
At 20:41, Blogger Desambientado said...

Fátima Silva.

Gostei que colocasse aqui a hipótese de que possamos ser todos um pouco ladrões. Não me choca que me chame de ladrão desde que não seja "um mau ladrão".
Há roubos e roubos, dizia eu atrás à Cristina Oliveira. Há os roubos da sobrevivência. Eu roubo um pouco a Natureza para poder sobreviver: roubo-lhe espaço para me instalar, roubo-lhe alguns recursos para me alimentar e ter aquilo a que chamamos qualidade de vida. Questionarmo-nos se somos ou não ladrões, talvez dependa da racionalidade com que agimos ou transformamos as coisas, se temos ou não em atenção os impactos na natureza das nossas acções. Assim, desse ponto de vista, haveria certamente uma correspondência entre o ser ladrão e ser inconscente.
Como saberemos objectivamente que somos ladrões?

 
At 20:48, Blogger Desambientado said...

Amiga MAAT.

Essa sua questão também se prende um pouco com a questão levantada pela Fátima Silva. Seremos nós, também ladrões de espaços verdes, de harmonia, pássaros, água e todos os "recursos" do planeta? Certamente que sim, se desiquilibrarmos o ambiente. por outro lado, vejo o homem também envolvido nas questões ambientais,ser integrante da natureza, o que não vejo de facto, é nenhum animal com tanta ambição.
Vejo também que por vezes é o próprio indivíduo que se rouba a si mesmo, porque não tem auto-confiança, não acredita em si e em ninguém, porque tem pena de si próprio, que se auto-isola entre as gentes. Poderemos inflingir auto-roubos?

Um beijinho.

 
At 20:54, Blogger Ana Pinheiro said...

"Que outros tipos de roubo você considera que existem?"
Um dia deixei que me roubassem a minha própria identidade...dei por mim completamente perdida...caminhando por becos sem saída...
Hoje, pergunto-me se pior fez o ladrão que me roubou ou se pior fiz eu que o deixei roubar-me...
Hoje encontrei o meu rumo...Pouco a pouco venho-me redescobrindo...
Beijo terno e eterno.

 
At 20:55, Blogger Desambientado said...

Paulo Ribeiro.

Não tens nada que agradecer. Se o fazes terei que retribuir também.

Concordo contigo que há várias categorias de roubo. Por vezes os de bens materiais são os menos importantes. Sentirmo-nos roubados, mesmo que seja numa folha de papel, é pior do que o rouba da própria folha de papel.
O trauma do roubo "mental", dos valores que prezavamos, marca-nos-á para sempre, e creio que nos levará, mais tarde ou mais cedo, ao ódio e a acções pouco dignas.
Não achas?

 
At 21:23, Blogger Trequita said...

Roubar:
subtrair violentamente;

furtar;

tirar;

raptar;

plagiar

é o que acontece milhares de vezes a cada minuto que passa!

 
At 21:55, Blogger Desambientado said...

Ana Pinheiro.

A forma como contas esse roubo e a forma como o encaras, é das coisas mais bonitas, apesar de triste, que já ouvi.
Obrigado por partilhares connosco algo tão íntimo.

Um beijão.

 
At 21:56, Blogger Desambientado said...

Trequita.

Convêm então que alteremos rapidamente essa velocidade de acontecimentos.
Não concordas?
Um beijinho.

 
At 22:21, Blogger Fátima Silva said...

Desambientado.
O que eu penso é que quando identificamos e/ou conhecemos a origem dos problemas, que por acaso nos envolvem ou estamos directamente e/ou indirectamente implicados e fechamos os olhos, fingindo não ver, porque ver pode agitar as nossas vidas, somos um pouco ladrões... e isto em todos os aspectos e situações da nossa vida.

 
At 22:30, Blogger Maria Costa said...

O roubo que o homem petrificado e adormecido pensa que não tem "punição". O roubo do respeito pelo próximo no espaço de todos os seres, desde a pequena formiga até todos os outros seres de respeito, o roubo da Mãe Natureza.
O maior ladrão o homem.

Beijinhos.

 
At 22:37, Blogger Janelas da Alma said...

Há os que roubam as almas,
E os que roubam os sentimentos de uma criança...
Também há quem roube o amor,
Ou um beijo perdido...
E os que roubam a vida,
e que roubam o pão?!...
Ainda há quem roube a liberdade,
ou a voz da verdade!...
Quem rouba, tira!...

Adorei a composição deste teu novo tópico!...Excelente, uma vez mais!
Abraços,

Nuno OSvaldo

 
At 22:38, Blogger Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba said...

Sabemos todos que roubo não é digno. Mesmo na primeira infância, já conhecemos que tomar alguma coisa do outro, não é correto de ser feito, embora ainda não se tenha clareza moral disso. No entanto, muitas vezes o pedido para a sobrevivência, não chega a tempo ou nem mesmo chega a ser ouvido e aí, em muitos casos, parece mesmo que a única saída é roubar e salvo os casos de psicopatia, ninguém nasce para ser ladrão, bandido, assassino e na maioria dos casos, a condição é quem acaba levando a isso, em razão do meio. Há de fato uma infinidade de roubos e nem vale aqui enumerá-los, mas para mim, roubos imperdoáveis são os que atacam vítimas indefesas. Todas as vítimas que não podem se defender e sejam elas das espécies que forem, são entendidos por mim como sendo crimes hediondos. Estupro é grave em toda e qualquer idade, mas com crianças é indecifrável. É o abuso do abuso!!! Para coisas dessas não pode haver perdão jamais. Muito menos ainda, poderá haver perdão de algum para os abusos sexuais., pois segundo o que sei e pouco sei, o estuprador, dificilmente investe contra a mesma vítima e a que sofreu o ataque anterior, ainda tem a chance de alguma recuperação, o que não ocorre no caso do abuso, onde o criminoso mantém-se presente e até por anos, em muitos casos. Vive dentro das casas e próximos, a espera dos momentos certos para cada ataque. Concordo quando falas também, nos muitos crimes contra os idosos e tal e qual, também são vítimas indefesas, no sentido de não disporem de alguma condição de revide. São como as crianças e estão em desequilíbrio. O mesmo vejo na caça aos animais. Não entendo que há países desenvolvidos e ricos, que praticam matanças e se orgulham delas. Tal qual o estupro, o abuso e os maus tratos aos idosos, a caça é tão cruel quanto todos esses e são crimes sem perdão. No entanto e me valendo das leis penais brasileiras – que são das mais bem elaboradas no mundo e uma das que menos são colocadas em prática, também e salvo para pobres e desvalidos – justamente esses três tipos de crime aqui ou em qualquer país, nunca acabam em nada. São crimes silenciosos e que não lavam as penas dos grandes júris, de sangue, se por alguma razão houver algum vestígio dele, já secou... Acho correto quando dizes que o sistema penal tenta... Tenta sim, mas não faz!!! Ou se faz, faz mesmo quase nada. Crianças, velhos e bichos, não rendem votos e isso, em todos os lugares do mundo!!!

Beijinhos Desambientado!!!

Lá vou eu novamente com meus metros de letrinhas... Hoje vou variar: vou sair do linear para o quadrado!!!

 
At 00:07, Blogger frosado said...

Engraçado, essa canção cantava-se tb na minho aldeia, mas já não me lembram bem as estrofes...as coisas que tu sabes!

 
At 00:28, Blogger Caiê said...

O roubo da inocência, o roubo da esperança, o roubo da capacidade de amar (este parece impossível, mas sim, já vi secar-se à conta de algumas atrocidades cometidas). Roubos que podem cometer-se sobre inocentes que deixam de o ser em dois minutos.

 
At 01:12, Blogger Ruth Iara said...

Quantas coisas podem mesmo nos roubar. O Rabino Milton Bonder, escritor e versado em Kabala nos fala que podem nos roubar o prestígio. Isso é muito triste. Uma pessoa não pode viver bem sem nenhum prestígio ou sem honra na sua comunidade. Mas a hipocrisia é uma das lições mais avançadas e difíceis pela qual em alguns casos devemos passar. Nela o inocente é tratado como culpado e o culpado como se fosse inocente. Eu já passei por esta lição muitas vezes. Se sabemos que a força está dentro e não fora só não nos roubam a alma. O ladrão busca fora aquilo que não encontra dentro e nunca estará satisfeito. Não temos. Somos.
Seu post traduz o que penso e sinto a respeito destas situações de forma comovente.

Abraço!

 
At 09:50, Blogger azoriana said...

Há um roubo que faz doer
E mexe muito a humanidade
É um golpe duro de roer
Quando fere a felicidade.

Trata-se da violência
Mundial e doméstica:
Gera-se a turbulência
Rompe-se toda a ética.

Azoriana

 
At 09:57, Blogger Desambientado said...

Fátima Silva.

Defendes que ficar passivo perante as atrocidades é ser cumplice de um roubo.
Muitas vezes é dificil fazer mais qualquer coisa; por exemplo: como se opor determinantemente à descriminação homem/mulher que existe no mundo árabe?
Como se opor determinantemente à homofobia que existe na sociedade ocidental?
Será que as ONG's farão isso e será nossa obrigação participar nelas? Se sim, teremos que participar em todas, uma que defenda cada um dos problemas?
Neste momento parece que podemos escolher os problemas por catálogo.

 
At 10:01, Blogger Desambientado said...

Maria do Céu.

Por vezes dou por mim a pensar que, em vez de viver numa ilha com 60 mil pessoas, se vivesse numa ilha com 60 mil elefantes, esta ilha estaria muito mais destruída do que está, provavelmente a vida já se teria extinguido aqui. Será que o homem não tem direito a alterar também um pouco o mundo?
Eu entendo que sim, tenho dúvidas é se já não terá atingido o limite do aceitavel, em muitas partes do mundo.
Como poderemos promover o aparecimento de um "Homem" mais consciente? Alguma ideia?

 
At 10:01, Blogger Jorge Moreira said...

Olá Félix.
Bom post!

Mais uma vez, temos o egoísmo do homem como centro do problema.
O Homem não olha a meios, para atingir os seus fins, nem que para isso tenha de destruir as florestas, as outras culturas, o outro… nem que para isso tenha de matar os outros seres, o seu semelhante…
Procura satisfação e bem-estar pessoais, mergulhados na ilusão, de que essas coisas lhe trarão a felicidade.
"Quem vier atrás que feche a porta", "se os outros fazem, porque não também eu?", "Não sou eu que vou mudar o mundo". Estas são frases que ouvimos no nosso quotidiano, que traduzem uma perspectiva do desinteresse geral do homem pelas causas e a “justificação” da ambição para atingir os seus fins.
A continuar este caminho, vamos ver betão em vez de árvores; vamos respirar monóxido em vez de oxigénio; vamos ver os nossos filhos doentes e tristes; vamos ver pouquíssimas espécies de outros seres vivos; vamos acabar com nós mesmos.
Que grande inteligência… acabar com nós mesmos. Muitos dizem: “Oh! Isso não é para o meu tempo, quero lá saber” – Egoísmo puro. Se não fosse os nossos pais, não estaríamos aqui!

Grande Abraço,

 
At 10:06, Blogger Desambientado said...

Nuno Osvaldo.

Há comentários que são melhores do que o post. Este teu, é um deles.
Os beijos perdidos, não serão achados?
O pão roubado, não terá perdão?
O roubo da liberdade, não será consentido?

E por vezes as pessoas apaixonam-se pelos ladrões e só muito mais tarde percebem o quanto foram roubadas. Não quero dizer com isso que não nos devemos apaixonar. Talvez não o devamos fazer cegamente.


Um abraço.

Félix

 
At 10:19, Blogger Ana Isabel Godinho said...

O maior roubo...veio-me logo à ideia a pedofilia, a violência contra os idosos e os atentados aos direitos dos animais....
Mas reflectindo melhor posso acrescentar outro...a morte inesperada de alguém que muito amamos é um grande roubo! É como se alguém nos entrasse no peito e conseguisse arrancar um pedaço e o levasse...para nunca mais ser restituido...e não podemos encontrar o ladrão...nem sequer culpar alguém!!! A dor é enorme e fica para sempre o sentimento de que fomos roubados!!!!

Ana Isabel

 
At 11:39, Anonymous Ofeliazinha said...

Um roubo a quem ninguém consegue fugir, o passar do tempo e a vida que nos escorre por entre os dedos.
Bom fim-de-semana.

 
At 12:18, Blogger Nilson Barcelli said...

Há tantos tipos de roubos que até é difícil escolher o pior.
Mas, para responder ao teu desafio, vou dizer qual é o roubo que considero menos grave.
Sempre achei que assaltar um banco, de metralhadora e em plena luz do dia, não era grande crime desde que não se matem ou firam as pessoas, sejam elas funcionários ou clientes. Primeiro porque apenas diminui ao lucro (em parte roubado) do banco e depois porque os assaltantes correm riscos que outros ladrões não correm.
O teu post é excelente.
Abraço e bom fim-de-semana.

 
At 13:36, Blogger Vera Cymbron said...

Muito bom post. Parabéns!

 
At 14:44, Blogger melena said...

primeiro: parabens pela concepção do post.

segundo: influenciado pelo lançamento do documento único (oxalá não seja um meio de condicionar a liberdade) lembrei-me agora do roubo dos governantes quando nos cobram impostos e os aplicam em proveito próprio.

terceiro: bom fim-de-semana.um abraço

 
At 18:04, Blogger Paulo J. Ribeiro said...

Roubem-me tudo, mas não me levem a alma...

 
At 19:19, Blogger Desambientado said...

Cristina Oliveira (Lâmina D'Água).

Finalmente cheguei ao teu comentário.Hoje mais do que nunca fui o tal coellho da Alice e ainda vou continuar a sê-lo até ao fim do dia.

Vejo que és adepta da máxima: "O homem nasce puro, a sociedade é que o corrompe", uma vez que afirmas que "ninguém nasce para ser ladrão, bandido, assassino e na maioria dos casos, a condição é quem acaba levando a isso, em razão do meio".
Pelo que me foi dado depreender do teu desabafo, o que mais te revolta é a covarde escolha do adversário: a criança que não tem força e argumentos, o idoso pela mesma razão e os animais incapacitados de se defenderem.

Tudo isso que afirmas poderia ser traduzido por uma imagem extremamente violenta que não me sai da memória, por a ter presenciado: 'um homem atacando um gatinho recém nascido e coxo'. É a imagem de maior vulnerabilidade que posso imaginar e todavia é real.

Como a covardia pode ser tão real....

 
At 19:25, Blogger Desambientado said...

Fátima (FRosado).

As estrofes da cantiga são mais ou menos assim, versão de Santa Maria (provavelmente identica à versão de São Miguel):

Ó ladrão, ladrão, ó ladrão maldito,
Ó ladrão, ladrão, ó ladrão maldito,
Tu juras e negas o que me tens dito,
Tu juras e negas o que me tens dito.

O pai do ladrão
Era sapateiro,
Fazia sapatos,
Ganhava dinheiro.

Ó ladrão, ladrão,
Ó ladrão malvado,
Tu juras e negas
O que me tens dado.

Ó ladrão, ladrão,
Já lá vai pr'ó Pio,
No meio do caminho,
Deu um assobio.

O ladrão está morto,
Quem o mataria?
Foram as pimpolhas
De Santa Maria.

 
At 19:28, Blogger Desambientado said...

Olá Caiê.

O roubo pode ser violente a qualquer nível, as percepções de roubo também.
Por vezes só o próprio atingido sabe que foi roubado.

 
At 19:37, Blogger Desambientado said...

Amiga Ruth.

Obrigado por comentar e compartilhar connosco coisas pessoais.

Perder o prestígio é tão grave para algumas pessoas que na sociedade japonesa as pessoas se suicidavam. No entanto o Japonês não entende ser roubo, a usurpação de um direito de autor.
Por vezes as a cultura valoriza o prestígio de forma diferente. Uma sociedade evoluída perdoa mais facilmente....No entanto tenho dúvidas se deverá ser sempre assim.

 
At 19:38, Anonymous Cidinha said...

Poís, é hoje em dia e a toda hora, abraços. sou da corrente

 
At 19:40, Blogger Desambientado said...

Azoriana.

A violência doméstica é mais uma das forma de cobardia. Surge porque um dos lado percebeu que o outro tem medo, e que pode usar isso a seu belo prazer.
Na mairia dos casos trata-se da agressão do homem sobre a mulher, parece ser incrível que em Portugal isso se esteja a alterar e a agressão da mulher sobre o homem tenha aumentado grandemente.

A violência doméstica não é só violência física....

Até amanhã.

 
At 19:54, Blogger Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba said...

Desambientado...

Só de falares daí, do idota que espancou o gatinho, vou à ira!!!
Certamente que ele não deve ter coragem para fazer o mesmo de igual para igual. Sei também que me entendeste de todo, mas há aqui uma pequena questão que quero deixar claro: não acho que a raça humana seja bondosa, apenas por considerar que ela não veio à vida, para ser uma pessoa bandida, dessas que tem se apresentado para nós em nossos dias e a todo momento. Não somos bons. Nem maus. Somos como todo e qualquer animal, que luta pela sobrevivência e com uma dose cavalar de petulância e arrogância, capaz de nos julgarmos muito superiores, pela dita inteligência racional e essa mesma, que foi entendida como tal, por nós mesmos... Meus bichos falam comigo e me fazem entender o que eles desejam e portando, sabem falar a linguagem humana perfeitamente bem e o mesmo não posso dizer de mim com relação a eles. Inteligentes são eles e não eu. meus gatos me chamam para pedir água e me mostrar a vasilha. Verdadeiramente eu considero que somos os piores de todos que andam pela crosta da Terra. Mesmo assim, diante de toda a arrogância, pretenção e desequilíbrio emocional e mental da raça, ainda acredito que mesmo tendo de criar regras de efeito moral, religioso jurídico e ético para impor limites nesse povo todo, ainda assim não quero crer que nascemos todos bandidos e o que nos limita a exercermos nossas potencialidades, são as barreiras... Espero que não... Desejo que não e acho mesmo que não. O que anda a estragar mais ainda o que já nunca foi lá essas coisas, são as desigualdades. Essas são mesmo muito difíceis de serem dominadas e geram discrepâncias sociais. É fundamentado nisso que eu digo que não nascemos para bandidos, pois acredito que se a todos fosse dado o direito de ser gente, penso que as coisas poderiam ter um putro rumo... O que me dizes seu Coelho Desambientado???

Beijinhos
ò,ó

 
At 20:07, Blogger elisabete said...

Olá desambientado, tenho andado ausente porque outros afazeres me ocupam agora e neste momento.
Ao ler estas quadras lembrei-me de quando era mais pequena e a minha mãe ma costumava cantar, é uma daquelas canções que guardo dsaudosamente na memória.
Esse ladrão maldito que não tem rosto, que rouba o sorriso das crianças, o chupa-chupa da felicidade, a sinceridade, a inocência a infância.
O mesmo ladrãoque rouba e que destroi o que rouba e que nunca mais poderá ser recuperado.
Fica-nos apenas a dor!A dor da guerra, da fome, da perda de identidade, da família, dos amigos e a pior de todas. A esperança.
Só tenho medo que um dia me roubem a esperança!

 
At 20:39, Blogger Desambientado said...

Olá Jorge.
Tem sido dificil equacionar a falta de tempo com a possibilidade de responder aos comentários que os amigos como tu aqui colocam.

É de facto mais uma vez a questão do egoísmo humano, observada noutra vertente: o roubo.
Colocas e muito bem a questão das gerações vindouras e o possível roubo que lhe estamos a fazer neste momento. Esse é um conceito de roubo distinto: "roubar o próprio futuro", que é diferente de roubar a esperança.

Digamos que o homem por vezes consegue roubar o próprio tempo: o seu e o dos outros.

Um abraço.

 
At 20:44, Blogger Desambientado said...

Ana Isabel Godinho.

Percebo perfeitamente o que dizes, por isso, não comento.

Um beijinho.

 
At 20:45, Blogger Desambientado said...

Ofeliazinha.

Por vezes pensamos que o tempo nos é roubado. O tempo é efectivamente um engano: dão-nos uma amostra para podermos sonhar com o eterno.

 
At 20:47, Blogger Desambientado said...

Nilson.

Então és adepto do "Ladrão que rouba a ladrão, tem cem anos de perdão"?

Um abraço.

 
At 20:48, Blogger Desambientado said...

Vera Cymbron.

Muito obrigado.

Bom fim de semana.

 
At 20:50, Blogger Desambientado said...

Emanuel (Melena)

Esse roubo, entrou tanto na ordem do dia que por vezes nos esquecemos.


Bom fim de semana.

Um abraço.

 
At 20:50, Blogger Desambientado said...

Paulo Ribeiro.


Sem dúvida.

Bom fim de semana.

 
At 20:52, Blogger Desambientado said...

Cidinha.

Muito obrigado pela visita.
É um prazer vê-la por aqui.

 
At 20:54, Blogger Desambientado said...

O coelho responde....


Não tenho certezas acerca de nada. Cultivo a dúvida metódica.

Bom fim de semana.

 
At 20:59, Blogger Desambientado said...

Olá Elisabete.

Faz tanto tempo que não te vejo por aqui. Sei que tens andado ocupada.

Será que alguém nos rouba a esperança? Essa não é só nossa?

Bom fim de semana.

 
At 21:27, Blogger vidal said...

Hoje quando dei por mim estava a ler um mail que dizia «Muito Bom. Que cada um levante o seu espelho e avance.»
Penso que os grandes roubos acontecem, também, e às vezes até de forma inconsciente, quando se destroem os sonhos, a esperança, o apreço pela vida, a capacidade de questionar, de amar e de perdoar.
Até amanhã!

 
At 21:35, Blogger Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba said...

Nem eu Senhor Coelho...
Tudo são conjecturas e meras suposições, sujeitas a confirmações sistemáticas!!! Ainda bem, pois caso contrário, seria um tédio!!!

Um beijinho de bom final de semana também, pra todos da tua toquinha!!!

ó,ó

 
At 21:53, Blogger deep said...

Que outras formas de roubo? Entre muitos outras, o tráfico de droga que continua a servir-se do vício de pessoas fracas, cujas vidas vão sendo aos poucos "roubadas", ficando impunes os verdadeiros responsáveis...
Félix, tem um bom fim-de-semana, nesse paraíso que são os Açores... que saudades!

 
At 22:37, Blogger horacio said...

Dou os meus parabéns ao "desambientado" por ser o autor de um blog tão interessante, tanto ao nível da escrita como da apresentação...
Que nunca te falte o "engenho e a arte"...

 
At 00:05, Blogger Trequita said...

ok! já está demosntrado o teorema do gato com nove caudas. passa pelo meu blog para conferires :)
bjokitas

 
At 10:02, Blogger Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba said...

Passei somente para desejar bom dia!!!
Com um beijo seu Coelho!!!

ò,ó

 
At 10:11, Blogger Desambientado said...

Vidal.

o roubo percepcionado é diferente do roubo julgado. Quando reflicto e reconheço as minhas culpas, são ladrão, por vezes de mim mesmo.
Quando me julgam ladrão é porque certamente sou narcisista e autista.

Até logo no encontro IBIT.

 
At 10:13, Blogger Desambientado said...

Lâmina d'água.

Bom dia.
Passei por aqui ainda estava roendo o resto de uma cenoura.
E continuo, com muita pressa. Hoje temos na ilha um Encronto de bloguistas e eu também me inscrevi, por isso continuo com pouco tempo.

Beijinho.

 
At 10:22, Blogger Desambientado said...

Olá Deep.


Muito pertinente essa tónica. A droga é o roubo da dignidade.

Então já passou cá nos Açores? Foi há pouco tempo?

Um beijinho e votos de rápidas melhoras.

 
At 10:23, Blogger Desambientado said...

Horácio.

Muito obrigado pela simpática visita e pelo simpático comentário.

Será um prazer vê-lo por cá.

 
At 10:24, Blogger Desambientado said...

Trequita.

Já assei por lá.

Bom Fim de Semana.

 
At 12:01, Blogger TF said...

Felix
Já tinha passado por cá e li mas fiquei a pensar neste teu post e estranhamente (ou não) não consegui comentar logo.
Pensando bem, acho que nós seres humanos passamos a vida a roubarmo-nos uns aos outros, mesmo de forma inconsciente. Ou será que esta minha visão é egoísmo?
Sinto muitas vezes que me roubam o tempo, o sossego e a paz de espírito, o espaço físico e mental, a natureza, o ar respirável, as zonas verdes, o silêncio, a qualidade de vida, as paisagens bonitas e relaxantes. Ás vezes também nos roubam os afectos, o amor, a amizade, a felicidade...
Estranho também é quando, em determinados momentos, estas coisas entendidas como roubos se transformam em dádivas de outros...
Se calhar está confuso e enigmático?
Bom fim de semana e um bom encontro de bloguistas da Terceira
Teresa

 
At 13:03, Blogger Fátima Silva said...

Desambientado.
Naõ acho que devamos pertencer a todas as organizações ambientais ou de solidariedade social para agirmos na resolução de problemas que estão a maior parte das vezes à nossa beira. São desses que falo. É a tal ideia de agir localmente para promover a consciência global.
Até já!

 
At 15:20, Anonymous Anónimo said...

Belo post. Gostei da composição texto/imagem.

Penso que o pior dos roubos é o dos sonhos. Por isso, ainda bem que há blogs como o seu.

Arquipélago das Dúvidas

 
At 15:54, Blogger DelEnd said...

não esqueças uma outra esfera, que por vezes se considera englobada na esfera social, que é a esfera cultural. temos uma grande história e por vezes acho que as pessoas com menos conhecimento científico, são as que possuem uma maior sabedoria!
beijinhos

 
At 17:59, Blogger PiresF said...

:)

 
At 19:19, Anonymous neide said...

olá vim te dar os prabens pelo destaquee desejar um lindo fim de semana vem me visitar tb beijos no coração

 
At 19:51, Blogger Ana Pinheiro said...

desambientado,
Não agradeças a partilha...
Beijo com carinho.

 
At 00:42, Blogger Desambientado said...

Olá Teresinha.

Percebo perfeitamento os teus dilemas. São tão parecidos com os meus. As mesmas questões: Sou ladrão ou sou vítima? Quando sou ladrão e quando sou vítima? Quando sou egoísta, se o sou, estou a ser vítima?

Excelentes questões, bomitos dilemas.
E quem tem respostas para eles?

Bom fim de semana.

Beijinhos.

 
At 00:44, Blogger Desambientado said...

Fátima.

Agora sim percebi a tua resposta, mas refiro que por vezes os problemas à nossas volta são tantos que dificilmente conseguimos acudir a todos sem ser com uma lista de prioridades...............

 
At 00:46, Blogger Desambientado said...

Amigo Arquipélago das dúvidas.

É sempre muito gentil.

Será que o sonhos conseguem ser roubados? Ou serão apenas adiados?

 
At 00:50, Blogger Desambientado said...

Delend.

Nem sempre conhecimento científico significa iliteracia, nem sempre educação formal significa formação, nem sempre...etc.
No máximo tudo isso pode significar indicadores, porque o oposto, também não é verdade.
Ou não será assim?

 
At 00:51, Blogger Desambientado said...

Piresf

Obrigado pela visita.
Um abraço.

 
At 00:56, Blogger Desambientado said...

Neide.

Muito obrigado pela visita.
Também já visitei o seu blog. Não consegui deixar comentário. É um sistema diferente.
Gostei do seu blog.

 
At 00:57, Blogger Desambientado said...

Ana Pinheiro.

Ok, apenas para dizer que gosto de te ver por aqui, já que não posso agradecer.

 
At 09:44, Blogger Micas said...

O roubo da dignidade a que assistimos todos os dias. O roubo da identidade, e tantos outros roubos...
Escelente, excelente post e fotos.
Beijos

 
At 11:32, Blogger Desambientado said...

Micas.

Sabem sempre tão bem os teus comentários amigos. Obrigado.

O roubo da dignidade, não é devidamente igualmente valorizado nas diferentes culturas. Na minha ele é atroz, creio que na tua também.

 
At 14:34, Blogger Ana Pinheiro said...

Félix,
Costumo dizer que primeiro vem o gosto e só depois o prazer.
Eu a primeira vez que entrei no Desambientado, senti-me ambientada. Parece um paradoxo, mas não é :).
Eu senti um prazer enorme desde a minha primeira visita, e em momento algum diminuiu.
Beijinho ternurento.

 
At 15:08, Blogger Desambientado said...

Ana Pinheiro.

Hoje parece que te persigo, post a post passo a passo.
Hoje virtualmente comandas.
Ainda bem que sentes este como um espaço teu.

 
At 15:17, Blogger Ana Pinheiro said...

Feliz,
Eu diria antes uma caminhada a dois :)

 
At 16:21, Blogger Desambientado said...

Ana. OU isso.

 
At 19:08, Blogger Cruzeiro said...

Todos nós um dia roubámos, todos nós já fomos roubados...alguém que nos roubou a alegria, alguém a quem nós roubamos a alegria...alguém que nos roubou o coração, alguém a quem roubamos o coração...tudo isso pode por ser também encarado como uma forma de roubo...

 
At 21:49, Blogger Desambientado said...

Cruzeiro.

Ser ladrão ou ser vítima, poderá ser um estado de espírito?

 
At 20:04, Blogger Cruzeiro said...

Não me parece que seja um estado de espirito, parece-me mais que seja as circunstancias da vida...

 
At 21:06, Blogger Desambientado said...

Cruzeiro.

E não dá tudo no mesmo? Circunstâncias da vida ou estado de espírito?

 
At 18:25, Blogger Cruzeiro said...

Pode não dar...
Um estado de espirito pode ser apenas para preencher uma qualquer lacuna, para preencher o ego, por pura maldade.
As circunstancias da vida podem levar alguém ao roubo apenas por necessidade de algo.:)

 
At 13:24, Blogger Desambientado said...

Cruzeiro.

Nessa perspectiva, tenho que reconhecer-te razão.

 
At 06:45, Anonymous Anónimo said...

Thank you!
[url=http://vmmchsjy.com/qbjm/nqdv.html]My homepage[/url] | [url=http://jcszqneo.com/fekv/mwyq.html]Cool site[/url]

 
At 06:46, Anonymous Anónimo said...

Nice site!
My homepage | Please visit

 
At 06:46, Anonymous Anónimo said...

Great work!
http://vmmchsjy.com/qbjm/nqdv.html | http://ratphnrb.com/devg/rpme.html

 
At 16:29, Anonymous Anónimo said...

miley cyrus nude [url=http://www.ipetitions.com/petition/mileycyrus]miley cyrus nude[/url] paris hilton nude [url=http://www.ipetitions.com/petition/parishilt]paris hilton nude[/url] kim kardashian nude [url=http://www.ipetitions.com/petition/kimkardashian45]kim kardashian nude[/url] kim kardashian nude [url=http://www.ipetitions.com/petition/celebst]kim kardashian nude[/url]

 
At 10:54, Anonymous Anónimo said...

Lovingly done is richer reconsider than comfortably said.

 
At 14:28, Anonymous Anónimo said...

Well done is better than well said.

 
At 22:05, Anonymous Anónimo said...

Splendidly done is well-advised b wealthier than well said.

 
At 02:05, Anonymous Anónimo said...

Splendidly done is sick than well said.

 
At 06:14, Anonymous Anónimo said...

Splendidly done is richer reconsider than comfortably said.

 
At 10:29, Anonymous Anónimo said...

Splendidly done is sick than well said.

 
At 07:13, Anonymous Anónimo said...

A man who dares to atrophy anyone hour of one of these days has not discovered the value of life.

[url=http://www.ilgopnet.com/forum/member.php?u=1889]Linda[/url]


Jessica

 
At 06:04, Anonymous Anónimo said...

We should be careful and fussy in all the par‘nesis we give. We should be especially prudent in giving opinion that we would not think of following ourselves. Most of all, we ought to evade giving counsel which we don't mind when it damages those who take us at our word.

sait

[url=http://sait-66.webs.com/apps/blog/]sait[/url]

 
At 20:14, Anonymous Anónimo said...

A human beings begins sneering his discernment teeth the initially without surcease he bites eccentric more than he can chew.

 
At 09:05, Anonymous Anónimo said...

To be a noble charitable being is to from a amiable of openness to the in the seventh heaven, an gift to trusteeship uncertain things beyond your own restrain, that can front you to be shattered in unequivocally exceptionally circumstances pro which you were not to blame. That says something exceedingly important with the condition of the honest autobiography: that it is based on a trust in the uncertain and on a willingness to be exposed; it's based on being more like a plant than like a prize, something kind of fragile, but whose acutely special beauty is inseparable from that fragility.

 
At 09:24, Anonymous Anónimo said...

Work out ferments the humors, casts them into their right channels, throws eccentric redundancies, and helps cosmos in those secret distributions, without which the fuselage cannot subsist in its vigor, nor the soul fake with cheerfulness.

 
At 09:13, Anonymous Anónimo said...

In harry's life, at some occasion, our inner fire goes out. It is then bust into zeal at hand an be faced with with another hominoid being. We should all be under obligation recompense those people who rekindle the inner inspiration

 
At 09:30, Anonymous Anónimo said...

Найти лучшее: [url=http://downfast.ugu.pl/smsb.html]скачать Balls of Fury[/url]

 
At 12:16, Anonymous jasa ekspedisi said...

Mampir nich...
menarik sekali blog anda, dan saya sangat suka..
Salam...

 
At 13:28, Anonymous Anónimo said...

cheap valium buy valium online .co.uk - buy valium peru

 
At 11:17, Anonymous Anónimo said...

nngrpsenv
http://www.woolrichitalystore.com/ outlet woolrich
http://www.mywoolrich.com/ woolrich bambino
http://www.woolrichsitaly.com/ outlet woolrich
http://www.woolrichsalecheap.com/ woolrich outlet
http://www.woolrichitalyshop.com/ woolrich eskimo
woolrich
woolrich bambino
woolrich rosso
woolrich outlet
woolrich outlet
[url=http://www.woolrichitalystore.com/]woolrich uomo[/url]
[url=http://www.mywoolrich.com/]woolrich negozi[/url]
[url=http://www.woolrichsitaly.com/]outlet woolrich[/url]
[url=http://www.woolrichsalecheap.com/]woolrich modelli[/url]
[url=http://www.woolrichitalyshop.com/]woolrich giubbotto[/url]

 
At 17:37, Blogger AGENCIA MUITO CRIMINOSA FA IMOBILIARIA MATOSINHOS said...

FILHOS DA PUTA DE FÁTIMA VIEIRA & ALICE BORGES MEDIAÇÃO IMOBILIÁRIA. FILHOS DA PUTA DE FA IMOBILIARIA! SAO LADRAO, MAFIOSOS, ASSASSINO. ROUBADOS PARA ME HAN 5.000 €! SERVIÇOS DE DADOS MI HAN ZERO. E AO MEU PROTESTO MI HAN HAMEACADO DE MORTE COM ARMA! SAO UM TURISTA ANGLOALEMAO, ESTRAGADO A MORTE!


OLA'. SOU UN TURISTA ANGLO-ALEMAO, E DESCULPE PARA MINHA PORTUGUÊS POUCO. MAS EU QUERO ESCREVER ESTE TEXTO, COM TODO O MEU FORCAS. EM PORTUGUÊS (MESMO QUE POBRE) E EM INGLÊS. POR QUE 'I FORAM ENGANADOS, DEFRAUDADO, E COMO RESULTADO DE MEUS PROTESTOS, FUI AMECADO DE MORTE E AGREDIDO FISICAMENTE POR ESTES MAFIOSOS, CRIMINOSOS, REPUGNANTES BASTARDOS DE Fátima Vieira Alice Borges-mediação Imobiliária Lda, ALIAS BANDIDO ASSASSINO DI FA IMOBILIARIA DE MATOSINHOS, AV. DOM ALFONSO HENRIQUES 872 4450. MAIS INFORMAÇÕES SOBRE ENORME FRAUDE QUE SOFRERAM ( MI TER ROUBADO 5.000 EURO, ENGANANDO TOTALMENTE EM SERVICOS QUE ELES DEVEM DAR ME), ESTARÁ DISPONÍVEL, NO PORTO TRIBUNAL, POR QUE 'PORTERO' POR UM JUIZ, ESTES BASTARDOS MAFIOSOS, QUE ENQUANTO EU PROTESTEI POR ROUBO FEITO PARA ME DE 5.000 EURO, MI HAN MOSTROU UMA ESPINGARDA DIZENDO : "FECHE ACIMA OU NOS VAMOS MATA LO". EU PRETENDO ESCREVER ESTE TEXTO PARA ANOS E ANOS. MILHARES DE VEZES. O MUNDO DEVE SABER CADA COISA DESTES BASTARDOS ASSASSINO MAFIOSOS LADROES IMPOSTOR EMBUSTEIROS MALANDROS MUITISSIMO CRIMINOSO DE FA IMOBILIARIA DE MATOSINHOS, AVENIDA DOM ALFONSO HENRIQUES 872 4450. O MUNDO DEVE SABER CADA COISA DESTES BASTARDOS ASSASSINO MAFIOSOS LADROES IMPOSTOR EMBUSTEIROS MALANDROS MUITISSIMO CRIMINOSO DE Fátima Vieira Alice Borges-mediação Imobiliária Lda Av. Dom Afonso Henriques 872, 4450 Matosinhos, Portugal! AGORA QUERO COLOCAR TUDO APOSTOS. PRIMEIRO NA INTERNET. ENTÃO NA CORTE!
NOS PROXIMOS DIAS, TEXT TAMBEM EM INGLES. ESCRITO EM MILHARES DE SITES, AO REDOR DO GLOBO, POR ANOS E ANOS. ROUBADO, ENGANADO, HUMILHADO, OFENDIDO AMEACADO DE MORTE COM UMA ARMA NAO PODE ACONTECER JAMAIS!
DESCULPE PARA MINHA PORTUGUÊS POUCO, MAS CADA PALAVRA QUE EU ESCREVI, EU TENHO ESCRITO COM O CORAÇÃO E ALMA. SE O MUNDO TORNA-SE PROPRIEDADE DESTES BASTARDOS ASSASSINO MAFIOSOS LADROES IMPOSTOR EMBUSTEIROS MALANDROS MUITISSIMO CRIMINOSO DE FA IMOBILIARIA DE MATOSINHOS OU DESTES BASTARDOS ASSASSINO MAFIOSOS LADROES IMPOSTOR EMBUSTEIROS MALANDROS MUITISSIMO CRIMINOSO DE Fátima Vieira Alice Borges-mediação Imobiliária Lda Av. Dom Afonso Henriques 872, 4450 Matosinhos, O MUNDO MORRE!

 

Enviar um comentário

<< Home