Comunidade Portuguesa de Ambientalistas
Ring Owner: Poli Etileno Site: Os Ambientalistas
Anterior Lista Aleatório Junte-se a nós! Próximo

2005-12-29

Atrás de Tempo, Tempo vem.


Não há tempo para nascer,
Mas conta-se-o até morrer.

Quase não há tempo para amar,
Mas há muito para sofrer.

Apenas num segundo se sorri,
Mas precisamos de horas para chorar.

Há uma vida para não perder,
Entre os milénios da História
Que se guarda na passagem breve de cada um.




Atrás de tempo, tempo vem.

Feliz 2006.

Félix Rodrigues.

Qual foi o seu acontecimento marcante em 2005?

Perspectivas:

Procura da Paz de (Bitta)

A ano por imagens de Fátima Silva.

Retrospectiva ambiental de Ana Isabel

O Melhor e o Pior de 2005 por Octávio Lima

O fim de ano português por Piresf

Tempo, tempo, tempo da Lady in Red

Sabedoria ameríndia de MAAT

Direitos humanos com Ambiente do João

Saudade dada em FSILVA

A oração de Tá Difícil

Dá que pensar de Nanda

27 Comments:

At 15:33, Blogger Bitta said...

Que mensagem de bonita e profunda... Dá para pensar!

Foi como se tivesse visto um filme que me tocasse e depois levasse horas a "dgerir" os pequenos pormenores...

Gostei...
Um bom ano 2006!

 
At 16:26, Blogger Fátima Silva said...

Quantas e quantas seriam as palavras que poderíamos escrever para descrever os passos que damos e, no final, contadas dariam uma parcela tão pequena de alegria.
A solução é sentir cada passo como necessário e enfatizar o que de bom nos acontece diariamente. O valor das pequenas coisas que significam a essência da nossa existência.
Não se pode perder a vida, embora ela nos faça declinar no final. Gostei muito de post.

 
At 20:56, Blogger Ana Isabel Godinho said...

Sem comentários...
Cada palavra,cada imagem faz-me ter vontade de fumar um cigarro.....não, não é uma desculpa para fumar, é um sentimento, como aquele de roer as unhas de impotência,de ter vontade de gritar ao mundo que somos todos anormais e um receio enorme que se volte a repetir tudo outra vez!
Será que o Homem é mesmo muito BURRO e nada aprende com o que aconteceu no passsado? É desesperante!!!!!!!

Ana Isabel

 
At 22:18, Anonymous Anónimo said...

Melhor 2006. Octávio Lima (ondas3.blogs.sapo.pt)

 
At 11:17, Blogger Desambientado said...

Bitta

Obrigado, pelo seu bonito elogio.

Fátima Silva.

Muito profundo o que dizes.

Ana Isabel.

Não pretendia despertar-te raiva e impotência, mas sim, vontade de alterar qualquer coisa por mínima que seja.


Octávio

Benvindo.
Votos de um bom ano também para si.

 
At 14:28, Blogger PiresF said...

Que este Novo Ano, te traga muita saúde a ti e aos teus.
Que seja o arranque para a concretização de todos os teus desejos, e que em 2006, possamos continuar a divertir-nos na blogosfera.
Um abraço.

 
At 14:49, Blogger Desambientado said...

FPires

Agradeço e retribuo os votos de excelente 2006.

 
At 18:40, Blogger Cristina Mendonça said...

Tempo, tempo, tempo...se houvesse a vender, estaria sempre esgotado...
Por vezes não é a falta de tempo que nos inibe ou impele a algo, é o facto de não querermos abdicar de certos "confortos" temporais.
o meu acontecimento mais marcante ocorreu já no fim do ano.Será marcante para toda a minha vida e mandou "à fava" alguns dos meus "confortos temporais" mais imediatos.

 
At 18:47, Blogger Desambientado said...

Cristina vou linkar, para ti
o
Tempo, tempo, tempo
que encontrei.

Tempo, tempo mano velho,
falta um tanto ainda eu sei
Pra você correr macio

Tempo, tempo mano velho,
falta um tanto ainda eu sei
Pra você correr macio
Como zune um novo sedã

Tempo, tempo, tempo mano velho
Tempo, tempo, tempo mano velho
Vai, vai, vai, vai, vai, vai

Tempo amigo seja legal
Conto contigo pela madrugada
Só me derrube no final

Ah-ah-ah ah-ah
Ah-ah-ah ah-ah

Tempo, tempo mano velho,
falta um tanto ainda eu sei
Pra você correr macio
Como zune um novo sedã

Tempo, tempo, tempo mano velho
Tempo, tempo, tempo mano velho
Vai, vai, vai, vai, vai, vai

Tempo amigo seja legal
Conto contigo pela madrugada
Só me derrube no final...

 
At 19:21, Blogger maat said...

O Tempo é a tela de suporte da Consciência. E como a Consciência da Humanidae anda tão devagarinho!

Todavia...há algumas chamas mais fortes que iluminam mais.
Que o vento forte não as apague, mas as faça unir ...unir... até ao cume do UM!


***

 
At 19:27, Blogger Desambientado said...

Maat.

A tua mensagem é tão vagarosa como o teu tempo. Entra devagar, para ter tempo de se agarrar à nossa consciência e iluminar-nos o caminho, iluminar-nos a perspectiva.

Vou tentar aprisionná-la.

 
At 21:31, Blogger Joao Soares said...

Um excelente 2006 para ti e muitas ondas positivas...No meu entender Portugal não devia ter medo e/ou armar-se em vítima da globalização...temos oportunidade de mudar. Assim 1º ser mais exigentes e aumentar a fasquia da exigencia, 2º ser um povo criativo e podemos ser ainda mais criativos se avançarmos para a frente 3ºnão cometer os erros do passado e convergir o passado com as novas tecnologias menos poluentes. 4º mais participação cívica e mais voluntariado 5º erradicar o atraso sociocultural de muitos portugueses...por vezes muitos conceitos ambientais/científicos não sao compreendidos por maioria da população 6º erradicar a exclusão, principalmente do Ambiente
Ecoabraços do BioTerra ;)

 
At 21:33, Blogger Joao Soares said...

Ola Felix
Talvez não saibas mas já tinha feito o meu balanço de 2005.Aqui o deixo para consulta
http://bioterra.blogspot.com/2005/12/direitos-humanos-com-ambiente-imensas.html
Novamente votos de um Bom Ano Novo

 
At 22:25, Blogger Desambientado said...

Olá João.

Por acaso já tinha visto o teu balanço direitos humanos com ambiente e também o Contra o esquecimento.
Não sei o que se passa, mas não consigo deixar mensagens no bioterra. A janela abre-se, mas não se acede ao campo de escrita.
Assim deixo-te aqui o que penso sobre o desenvolvimento sustentavel.
"O desenvolvimento sustentável tem que ser um combate global à fome, à miséria e ao terrorismo.
Na viragem do milénio, a fome e a miséria teimam em afirmar-se. A fome, é incompatível com o conceito de ambiente saudável e por consequência com um desenvolvimento sustentável, uma vez que despromove a auto-estima, o bem-estar individual e a harmonização com o meio, seja ele de que tipo for. A penúria, não permite um diálogo e uma participação activa na vida de uma sociedade global, porque o homem que nada tem será, de acordo com o modelo económico vigente, diminuído nas suas aspirações e capacidades negociais, valorizando-se apenas à custa dos escassos recursos naturais de que dispõe. E no entanto, há criaturas “..que atravessam um mundo de misérias e de injustiças, de vícios e de crimes, de fomes e de tormentos, sem um olhar de maldição para a natureza, sem uma palavra de queixume para o destino.” (Guerra Junqueiro in Os Simples).

Votos de um bom ano.

 
At 23:57, Blogger FSilva said...

Respeito as vossas opiniões, mas não sou tão optimista. Os elemntos que integram o conceito de desenvolvimento sustentável são basicamente a preservação do ambiente, a necessidade de crescimento económico para dar resposta às necessidades sociais e equidade para as gerações presentes e futuras.
É dificil equacionar estes três elementos numa perspectiva espacial e temporal.
Acaba por ser uma conversa académica, é pena que os políticos, não se lembrem dos seus tempos de académicos...seria um pouco melhor.
bom 2006

 
At 10:33, Blogger Desambientado said...

fSilva.

Se não formos utópicos, nada se avança. Quanto mais baixa estiver a fasquia, menor será o esforço para passá-la.
De facto, o desenvolvimento sustentável que surge em 1990, é numa tentativa de conciliar o desenvolvimento económico com a conservação do meio ambiente (Girling,2003). Hoje, há tendência para reduzi-lo a "crescimento sustentado" (onde se injectam verbas, para manter tudo tal como está).
Todos nós "pugnamos por um desenvolvimento que seja socialmente desejável, economicamente viável e ecologicamente sustentável, sabendo que este passa pelos nossos valores, pelas nossas atitudes, pelo nosso conhecimento e pela nossa acção e na aposta na educação, a todos os níveis(Mestrado em Educação Ambiental da Universidade dos Açores, 2004). Só assim teremos um desenvolvimento que garanta a sustentabilidade do nosso mundo.

Bom Ano

 
At 15:19, Blogger 'Tá Difícil said...

Passei por cá e não podia deixar de lhe desejar os votos de um excelente ano.

Como sempre os seus poemas prendem-me o olhar e as fotografias são bem escolhidas.

Com amizade e já habituação à sua presença, Tá Difícil

 
At 15:38, Blogger Desambientado said...

Tá Difícil.

Fico-lhe sempre grato pela sua visita. Já me habituei também à sua porta, mesmo aqui ao lado.
Gosto muito de lá passar.
Depois de amanhã, talvez com menos frequência.

Excelente 2006 para si.

 
At 15:41, Blogger Nanda said...

Bonitas palavras!
Um óptimo 2006 !

 
At 15:47, Blogger Desambientado said...

Obrigado Nanda.

Um execelente 2006 para ti.

 
At 22:23, Blogger Ana Isabel Godinho said...

Não foi raiva nem impotência que me despertou este seu post, foi tristeza por ser confrontada com as coisas sempre iguais, mais grave a falta de vontade que o Homem tem de mudar.....

Feliz 2006

Ana Isabel

 
At 09:45, Blogger Desambientado said...

Obrigado Ana Isabel.

Digamos que o que te irrita é a falta de originalidade para se fazer sempre o mesmo tipo de maldades.

Um abom ano para ti.

 
At 11:31, Blogger Bitta said...

Só agora vi o link para o meu blog...
Foi uma grande prenda de Ano Novo... Obrigada... Sinto-me lisonjeada de figurar numa lista de gente com tanta coisa expectacular...

 
At 11:31, Blogger Bitta said...

Ah! Feliz Ano Novo!!! Tudo de bom...

 
At 11:35, Blogger Desambientado said...

bitta.

Não sei porquê o espanto. Merece-o, pela qualidade.

Um bom ano novo para si.

 
At 09:55, Blogger melena said...

Acerca do tempo e/ou falta dele.

"A morte chega cedo,
Pois breve é toda a vida
O instante é o arremedo
De uma coisa perdida"

Fernando Pessoa

 
At 10:26, Blogger Desambientado said...

Melena.

Muito bonito.

Bom ano.

 

Enviar um comentário

<< Home